Prefeitura de SP entrega o primeiro CEU em agosto

De olho na reeleição, prefeita Marta Suplicy pretende cumprir o calendário de obras e inaugurar os 21 Centros Educacionais Unificados na periferia de SP

SÃO PAULO – No terceiro ano de sua gestão, a prefeita Marta Suplicy conseguirá dar um passo importante no cronograma de obras sociais anunciado na época de sua campanha. Na próxima sexta-feira (01/08), será inaugurado o primeiro CEU, Centro Educacional Unificado, de São Paulo.

O centro foi construído no bairro de Guaianazes, na Zona Leste da Capital, e será o primeiro dos 17 CEUs que devem ser inaugurados no mês de agosto. Ao todo devem ser construídos 21 centros na capital.

Após aumentar os impostos das classes mais abastadas da capital, a prefeita terá que se apoiar nos projetos sociais para garantir sua reeleição no ano que vem. A construção dos CEUs é um pilar decisivo para conquistar o voto dos milhões de paulistanos que vivem na periferia da cidade. Além do caráter educacional, o conceito dos CEUs está ligado ao aumento da qualidade de vida nas zonas mais subdesenvolvidas da capital paulista.

Investimento médio de R$ 13,7 milhões

De acordo com informações da Prefeitura, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva será o convidado especial durante a inauguração do primeiro CEU em Guaianazes. Em média, cada CEU representa aos cofres um custo de R$ 13,7 milhões, além dos R$ 2 milhões necessários para a compra de mobília e outros equipamentos.

Com a construção dos 21 CEUs, a cidade de São Paulo apresentará um aumento substancial no número de equipamentos públicos. Dentro de cada CEU haverá piscinas, quadras esportivas, bibliotecas, telecentros, teatros etc. Nesse sentido, os espaços poderão ser utilizados por toda a comunidade e não apenas pelos alunos matriculados nas escolas dos CEUs.

Qualidade de vida

Melhorar a vida das pessoas que habitam a periferia de São Paulo é o objetivo de todo esse investimento da Prefeitura. Em regiões da cidade que mal possuem árvores e espaços livres para lazer, a construção de complexos educacionais e esportivos poderá aumentar consideravelmente a qualidade de vida dessa população. Especialistas ainda acreditam que poderá haver um efeito negativo nos índices de violência dessas localidades.

A partir de uma gestão inovadora, que conta com a participação da comunidade na tomada de decisões, os CEUs irão oferecer áreas verdes, bibliotecas, creches, centros de educação infantil, bibliotecas, playgrounds, centros comunitários, cinemas, teatros, piscinas, quadras esportivas e outros serviços educacionais a uma das parcelas da população mais carente da cidade. A idéia é criar centros de referência para os moradores, onde eles poderão interagir entre si, como se estivessem em um clube, ou em uma praça central de uma cidade do interior.

Os moradores ainda poderão participar de cursos, como música e teatro, e ainda ter aulas de esporte, que deverão ser dadas por profissionais treinados pela Universidade de São Paulo, através de uma parceria.

Juntamente, com as obras de comemoração dos 450 anos de São Paulo, a inauguração dos CEUs pode melhorar a imagem desgastada do atual Governo da Reconstrução da prefeita Marta. Desde o início do governo, a prefeitura resolveu engordar suas receitas, aumentando o IPTU, criando taxas de iluminação e de lixo, subindo os impostos para profissionais liberais e empreendendo uma campanha de rigorosas multas para estabelecimentos comerciais que desrespeitassem normas do Município.

PUBLICIDADE

Agora a única salvação da prefeita é mostrar aos paulistanos para onde foi o todo o dinheiro arrecadado. Só no próximo ano saberemos se Marta Suplicy terá motivos para festejar além da comemoração dos 450 anos da cidade.