Prefeito diz que Porto Alegre não tem casas disponíveis para todos os desabrigados

Em entrevista à jornal, Sebastião Melo pede que governo federal promova mutirão habitacional

Equipe InfoMoney

Coletiva de imprensa sobre as medidas de enfrentamento para a enchente em Porto Alegre (Cesar Lopes/ PMPA)

Publicidade

O prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB), afirmou que a capital gaúcha não tem imóveis disponíveis para todos os 15 mil desabrigados na cidade em virtude das fortes chuvas que caíram no Rio Grande do Sul no início deste mês.

“Se eu falar de 30 mil pessoas, imaginamos o seguinte, tá falando aí no mínimo de 10 mil moradias, 8.000 moradias só em Porto Alegre, e tu não tem esse estoque nem com aluguel social”, disse Melo ao jornal Folha de S.Paulo.

Para o prefeito, o governo federal deveria promover um plano de habitação para os desabrigados gaúchos. “Tem que fazer um chamamento público, colocando pessoas que desejam vender imóveis usados, tentar comprar o maior número de imóveis já prontos”, disse Melo à Folha.

Continua depois da publicidade

Melo nega que a prefeitura de Porto Alegre tenha sido negligente no sistema de proteção contra enchentes. “O sistema de contenção de cheias de Porto Alegre veio na década de 1960, e foi concebido pela enchente de 1941, profundamente superada pela de agora”, afirmou o prefeito.

Porém, ele reconhece que será necessário um “grande plano” para evitar novas enchentes na capital gaúcha. “Não digo isso por causa da crise agora, é um tema em que eu trabalho há muito tempo, temos que começar com a discussão de R$ 5 bilhões para resolver o problema de Porto Alegre”, disse.