Temor aumenta

Políticos investigados entram em pânico com prisão de Lula: “se ele foi preso, quem escapa?”

A avaliação é de que o Supremo acelerará os processos contra quem tem prerrogativa de foro - até agora, nenhum deputado, senador ou ministro investigado na Operação Lava Jato foi condenado

SÃO PAULO – A decisão do juiz Sérgio Moro de decretar a prisão do ex-presidente Lula, somada ao placar do julgamento do habeas corpus pelo STF (Supremo Tribunal Federal), levou pânico a políticos investigados de Brasília, informa a Coluna do Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo.

A avaliação é de que o Supremo acelerará os processos contra quem tem prerrogativa de foro – até agora, nenhum deputado, senador ou ministro investigado na Operação Lava Jato foi condenado.  “O raciocínio comum é: se Lula foi preso, quem escapa?”, aponta a Coluna.

A Coluna do Estadão ainda informa que quem atua diretamente na Operação Lava Jato em Curitiba chamou de “miragem” o pedido de medida cautelar que o PEN apresentou no STF para que condenados em segunda instância só sejam presos após análise de recurso pelo STJ.  O temor de que o ministro Marco Aurélio Mello concedesse a liminar, aumentou as suspeitas de que teria provocado a decisão da segunda instância que deu ao juiz Sérgio Moro a chance de decretar a prisão do ex-presidente Lula antes da análise do último embargo.  

PUBLICIDADE

A ação do PEN pretende rever a decisão do STF, tomada em 2016, que autoriza a prisão após o fim dos recursos na segunda instância. Dessa forma, poderia ser derrubado o resultado do julgamento que negou ontem (4) o habeas corpus para evitar a prisão do ex-presidente. Marco Aurélio disse que pode levar a liminar para julgamento na próxima quarta-feira.  

Quer driblar o risco político e ganhar dinheiro com segurança nessas eleições? Clique aqui e abra sua conta na Clear