Operação Lava Jato

Polícia Federal diz que Lula é “Amigo” em planilhas de propina da Odebrecht

As planilhas trazem, ainda, o codinome ‘italiano’. Segundo a PF, uma referência a Palocci, que foi indiciado por corrupção passiva

SÃO PAULO – Em relatório em que indiciou o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, a Polícia Federal apontou que o codinome ‘amigo’, que aparece em planilhas de propinas da Odebrecht, refere-se ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em um documento do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, ‘Amigo’ é destinatário de R$ 23 milhões, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo.

A PF diz que a suspeita sobre o ex-presidente tem ‘respaldo probatório e coerência investigativa’. O documento cita ainda a sigla EO em suposta referência a Emíilo Odebrecht, patriarca do Grupo Odebrecht. “Luiz Inácio Lula da Silva era conhecido pelas alcunhas de “Amigo de meu pai” e “Amigo de EO”, quando usada por Marcelo Bahia Odebrecht e, também, por “Amigo de seu pai” e “Amigo de EO”, quando utilizada por interlocutores em conversas com Marcelo Bahia Odebrecht”, diz o relatório da PF. 

As planilhas trazem, ainda, o codinome ‘italiano’. Segundo a PF, uma referência a Palocci, que foi indiciado por corrupção passiva. Segundo a Lava Jato, entre 2008 e o final de 2013, foram pagos pela Odebrecht mais de R$ 128 milhões ao PT e seus agentes, o que inclui o ex-ministro. 

PUBLICIDADE

O advogado Cristiano Zanin Martins rebateu o relatório. “A Lava Jato não apresentou qualquer prova que possa dar sustentação às acusações formuladas contra o ex-presidente Lula. São, por isso, sem exceção, acusações frívolas, típicas do lawfare. Na falta de provas, usa-se da “convicção” e de achismos”.