Investigação

PF pede inclusão de Temer, Padilha e Moreira Franco em inquérito sobre organização criminosa

O processo em questão possui atualmente 15 investigados, entre eles o ex-deputado Eduardo Cunha e o ex-ministro Henrique Eduardo Alves

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Polícia Federal pediu que o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) sejam investigados em um inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal) para apurar a existência de uma organização criminosa entre deputados do PMDB. O pedido foi feito pelo delegado Marlon Cajado em 26 de junho.

O processo em questão possui atualmente 15 investigados, entre eles o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o ex-ministro Henrique Eduardo Alves, o doleiro Lúcio Funaro, o líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE), o deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), a ex-prefeita Solange Almeida e o lobista Fernando Falcão Soares, o Fernando Baiano, um dos delatores da Operação Lava Jato.

“No contexto do Inquérito 4483/STF, que se relaciona com a investigação acima mencionada, a partir das inquirições de Lúcio Bolonha Funaro e Joesley Mendonça Batista, surgiram novos relatos confirmando as atuações do chamado ‘PMDB da Câmara’ junto à Caixa Econômica Federal e citando o suposto envolvimento de outras pessoas com foro originário no STF, sendo elas, o presidente Michel Miguel Elias Temer Lulia, o ministro chefe da Casa Civil Eliseu Lemos Padilha, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República Wellington Moreira Franco, além de outros nomes”, diz trecho do documento da PF.

Aprenda a investir na bolsa