União

Para derrotar Lula e Bolsonaro, Doria defende criação de frente partidária de centro

Para o prefeito, se não houver esta união, um representante da direita radical ou da esquerda radical vencerá a eleição

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), defendeu na tarde desta terça-feira (31) a criação de uma frente ampla de partidos de centro para disputar as eleições presidenciais do ano que vem com o objetivo de derrotar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC). Os dois pré-candidatos apareceram como líderes nas mais recentes pesquisas para 2018.

O tucano, que é cotado para disputar a presidência, disse que não será um agente “fracionador em São Paulo e nem no PSDB”. Para ele, se não houver esta união, um representante da direita radical ou da esquerda radical vencerá a eleição.

“A hora é agora. Estamos a um ano da eleição. Se não aproveitarmos esses dois, três meses para consolidar uma aliança entre os partidos que têm essa mesma crença, a partir de abril será tarde”, disse Doria. O prefeito evitou dar mais detalhes de quem poderia compor essa frente ampla de centro, mas afirmou que ela passa pela participação do PMDB, partido do presidente Michel Temer, no bloco.

Aprenda a investir na bolsa

Doria disse que é preciso “discernimento, concordância, liderança e humildade” para criar uma frente ampla de centro. A divisão, disse ele, resultaria na vitória de Lula ou Bolsonaro.

“Será que teremos um Lula aqui na frente? Será que é essa salvação do Brasil? Ou será o Bolsonaro? Eu digo que não. Precisamos nos apoiar em pilares que possam transformar o Brasil e, para isso, as forças democráticas e de centro precisam estar unidas. Nesse sentido, contem comigo”, afirmou.