DO ZERO AO TOPO ESPECIAL Guilherme Benchimol compartilha lições sobre como atrair boas pessoas e criar times excepcionais; assista à live

Guilherme Benchimol compartilha lições sobre como atrair boas pessoas e criar times excepcionais; assista à live

Fique de olho

Os 5 assuntos que vão agitar os mercados nesta quinta-feira

Confira no que ficar de olho nesta quinta-feira antes de operar na B3

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O mercado está em compasso de espera, com grandes eventos no radar nesta quinta-feira (8). No exterior, aguardo para o resultado da eleição parlamentar no Reino Unido, além do BCE e depoimento de James Comey, ex-FBI, nos EUA. No Brasil, o julgamento da chapa Dilma e Temer no TSE chega ao seu momento decisivo com o anúncio dos votos de cada um dos sete juízes. Confira os destaques desta quinta-feira:

 1. Bolsas mundiais
As bolsas europeias registram, em sua maior parte, uma sessão de alta em dia-chave para os mercados, com a decisão de política monetária do BCE, eleição parlamentar no Reino Unido e depoimento do ex-FBI James Comey no radar (veja mais nos tópicos abaixo). 

  1. Já os mercados acionários da China ampliaram os ganhos nesta quinta-feira, com o índice CSI300 de blue-chips encerrando na máxima de seis meses, impulsionados por dados da balança comercial e de reservas cambiais mais fortes do que o esperado.  A China relatou exportações e importações mais fortes do que esperado em maio, apesar da queda dos preços das commodities, sugerindo que a economia está se mantendo em um ritmo melhor do que o esperado, apesar do aumento das taxas de empréstimos e de um mercado imobiliário que desacelera. Os mercados chineses também foram sustentados por sinais de melhora na liquidez do sistema financeiro e pelas expectativas crescentes de que o MSCI decidirá incluir as ações “A” chinesas em seu índice no dia 20 de junho.
  2. Com isso, os metais e as ações de mineradoras sobem na Europa, apesar da queda do minério de ferro na China. Já o petróleo tem alta leve após despencar 5,1% na véspera com alta dos estoques americanos. 

Aprenda a investir na bolsa

Às 8h14, este era o desempenho dos principais índices:

*FTSE 100 (Reino Unido) -0,04%

*CAC-40 (França) +0,37%

*DAX (Alemanha) +0,48%

*Xangai (China) +0,34% (fechado)

*Hang Seng (Hong Kong) +0,34% (fechado)

PUBLICIDADE

*Nikkei (Japão) -0,38% (fechado)

*Petróleo WTI +0,44%, a US$ 45,92 o barril

*Petróleo brent +0,48%, a US$ 48,29  o barril

*Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa chinesa de Dailian -2,08%, a 423 iuanes

2. BCE e eleição no Reino Unido

A Europa ganha destaque nesta quinta com a reunião do BCE (Banco Central Europeu), às 8h45 (horário de Brasília), que deve dar seus primeiros passos para normalizar sua política monetária. Segundo rumores da véspera, a autoridade deve reduzir sua projeção para a inflação, o que já levou o euro a cair forte.

Enquanto isso, no Reino Unido ocorre a eleição parlamentar e que irá definir como será o caminho para a negociação do Brexit com a União Europeia. O partido Conservador, da primeira-ministra Theresa May, chegou a ter uma vantagem de 24 pontos para ter a maioria do Congresso, mas perdeu força e chega neste dia com sérios riscos de não conseguir vencer (saiba mais clicando aqui). A expectativa é que os primeiros resultados sejam divulgados a partir das 18h.

3. FBI e dados do exterior

PUBLICIDADE

Enquanto isso, nos EUA ocorre o depoimento do ex-diretor do FBI, James Comey. Seu testemunho no Comitê de Inteligência do Senado pode mudar o futuro do presidente Donald Trump. O mercado e a população norte-americana trata este evento com grande importância, já que pode desencadear um pedido de impeachment contra o presidente. Tudo isso porque Comey pode confirmar que Trump tentou obstruir as investigações sobre interferência russa nas eleições (clique aqui para saber mais).

Ainda nos EUA, serão revelados os dados de pedidos de seguro-desemprego às 9h30 e estoques de gás natural às 11h30. Destaque ainda para a China, que revelará às 22h30 os preços ao produtor e consumidor de maio. 

4. Julgamento no TSE

Por aqui atenção redobrada no terceiro dia do julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Hoje os ministros devem começar a dar seus votos e a sessão promete bastante debate. Na véspera foi confirmado que o julgamento será retomado às 9h e ir até o fim do dia, com uma paralisação para almoço. Além disso, já foi confirmado que, se necessário, haverá sessão na sexta e até no fim de semana. Na véspera, jornais apontaram que tanto PSDB quando o PT apostam em uma absolvição, com placar entre 5×2 e 4×3 a favor de Dilma e Temer. 

Com esse cenário de absolvição no radar, jornais de hoje destacam que o peemedebista se prepara para dar demonstrações de força, mas que tanto o governo quanto o mercado se prepara para “fatos novos” que podem gerar novas turbulências. No radar do governo, está a possível prisão de outras pessoas próximas a Temer  por envolvimento nas investigações da Lava Jato, possível divulgação de novas conversas comprometedoras, além da possível delação de Rodrigo Rocha Loures. Já o mercado se prepara para os efeitos da provável delação de Antonio Palocci (veja mais clicando aqui). Com o cenário de continuidade de turbulência no radar, a Verde Asset reduziu exposição em Brasil com chances menores para Previdência. “Reduzimos a nossa já pequena posição comprada em ações brasileiras, e aumentamos hedges no mercado de juros”. De acordo com os gestores, o custo político de votar a favor de uma reforma e de um governo impopulares “aumentou muito, enquanto o capital político que este governo dispõe para angariar votos se reduziu sobremaneira”.

Ainda no radar político, policiais civis cumprem hoje 33 mandados de busca e apreensão para investigar um esquema de corrupção e lavagem de dinheiro na empresa de energia Furnas, subsidiária da estatal Eletrobras. A operação, chamada de Barão Gatuno, tem como base a delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral, durante as investigações da Operação Lava Jato.

Já a CAS (Comissão de Assuntos Sociais) do Senado se reúne para ouvir o relatório do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) para o projeto de reforma trabalhista a partir das 9h00. O texto-base da reforma foi aprovado por 14 votos a 11 na Comissão de Assuntos Econômicos nesta terça-feira. Vale destacar ainda que Temer assinou na noite passada Medida Provisória que endurece a fiscalização e sanções que poderão ser adotadas pelo Banco Central e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em caso de fraudes e que prevê, entre outros, multa de 2 bilhões de reais a instituições financeiras e acordo de leniência (veja mais aqui)

5. Noticiário corporativo

PUBLICIDADE

O noticiário corporativo segue bastante movimentado com destaque, mais uma vez, para a JBS. A companhia informou que a fatia majoritária na Pilgrim’s Pride não está à venda; já a Receita apura denúncia da companhia de corrupção no órgão. A Kroton, por sua vez, informou que o Cade estendeu prazo para avaliar fusão com Estácio em 30 dias. O Valor informa que a Copel prepara oferta de ações de R$ 4 bilhões. A operação deve reforçar o caixa da elétrica e pode, no limite, levar a uma diluição da participação do governo do Paraná na empresa. Já o Globo afirma que o novo CEO da Vale, Fabio Schvartsman, deve reduzir diretores executivos da mineradora. Por fim, no radar de recomendações, o Pão de Açúcar foi elevado de equalweight para overweight pelo Brasil Plural. 

(Com Reuters, Agência Brasil, Agência Estado e Bloomberg)