Eleições

O marqueteiro da campanha de Dilma pode amedrontar a Bovespa?

A campanha eleitoral começou e a campanha de Dilma foi bastante elogiada; com mais tempo de televisão, ela pode balançar os mercados

SÃO PAULO – A campanha eleitoral na televisão e rádio começou com tudo nesta terça-feira (19) e já deu uma prévia de como pode movimentar os mercados.

E Dilma Rousseff, com o maior tempo de televisão, teve uma campanha inicial que pareceu bastante interessante, segundo apontam analistas de mercado. 

Conforme aponta a XP Investimentos, a campanha pareceu muito boa, não se esperando uma campanha no mesmo nível para Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB), apesar da maior comoção eleitoral após a morte de Eduardo Campos. Vale ressaltar que o marqueteiro João Santana, o número um do PT, é visto como um dos melhores do mercado e é uma das principais apostas de Dilma para se reeleger. 

Desta forma, a expectativa é de que Dilma possa recuperar terreno no curto prazo nas pesquisas nas pesquisas que deverão ser anunciadas na semana que vem. Com o Ibovespa já registrando uma forte alta de 14% no ano, a expectativa do mercado pode ser de maior proteção. 

Assim, esperamos um cenário ainda bastante conturbado e volátil, onde hoje, para nós, o Ibovespa já precifica uma probabilidade maior de alternância de poder, e ainda não é isso que demonstram as pesquisas, com Dilma ainda favorita”, ressalta a XP. O Ibovespa fechou hoje acima dos 58 mil pontos sendo que para a corretora, um cenário em aberto para as eleições seria do índice entre 54 mil e 56 mil pontos. Vale ressaltar que, em meio ao intervencionismo maior, o governo Dilma não é tão bem visto pelos mercados. Assim, quando ela sobe nas pesquisas, a Bolsa registra uma tendência de queda.

Porém, reforça o consultor político Vítor Oliveira, o PSDB de Aécio Neves não estava numa possível tão favorável para competir com o PT desde 2002. “A capacidade de arrecadação de Aécio junto as empresas cresceu bastante na comparação com a última campanha e pode colocá-lo numa posição mais favorável em relação à Dilma”. 

Na largada da campanha eleitoral, Aécio arrecadou pelo menos R$ 11 milhões em doações de empresas e pessoas físicas, mais do que a presidente Dilma Rousseff (PT), cuja prestação parcial de contas foi de R$ 10,125 milhões. Assim, ele é capaz de fazer uma campanha que esteja parelha com a de Dilma Rousseff, aponta Oliveira. Desta forma, é esperar para ver. 

O candidato do PSDB estreou seu programa do horário eleitoral obrigatório na TV passando a mensagem de que o problema do Brasil é o governo, de que o país tem tudo para dar certo mas está pior do que há quatro anos. O tucano procurou adotar um tom otimista sobre o Brasil, numa aparente contraofensiva ao discurso da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, que tem acusado os adversários de pessimismo em relação ao país.

Enquanto isso, a presidente Dilma tentou suavizar a sua imagem, dando lugar à uma pessoa família, com cenas cotidianas, como cozinhando um macarrão. 

PUBLICIDADE

Parte do tempo da propaganda procurou refletir a rotina pessoal e profissional de Dilma, destacando sua experiência na chefia do Executivo nos últimos três anos e meio e o fato de ser ela a única mulher a ocupar a Presidência da República. Com 11 minutos e 24 segundos, Dilma afirmou que, à frente do país, “é preciso matar um leão por dia”. A propaganda da coligação Com a Força do Povo traçou comparações entre o atual governo e administrações anteriores, destacando a queda na taxa de desemprego e resultados de programas sociais, como o Minha Casa, Minha Vida e o Mais Médicos, além de obras de infraestrutura, diante de um cenário internacional de impacto da crise financeira.