Entrevista

O FHC tem um problema comigo, ele sofre com o meu sucesso, diz Lula na TV

Segundo o petista, ele "deveria ter apreço" por FHC porque sempre tiveram "uma boa convivência"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O ex-presidente Lula concedeu uma entrevista na manhã desta quinta-feira (5) ao jornalista Kennedy Alencar no SBT. Entre os destaques, o petista mais uma vez ressaltou que poderá ser candidato novamente à presidência em 2018, com o objetivo de defender “um projeto que fez com que os pobres fossem vistos neste país”.

Sobre a crise, Lula até defendeu o aumento dos impostos como forma de melhorar a economia doméstica, mas colocou outra solução como a melhor escolha para o País. “Ou fazemos um aumento de impostos, como a Dilma está propondo agora a CPMF, ou você faz uma forte política de crédito”, disse ele, afirmando que escolheria a segunda opção.

Já no caso das investigações envolvendo a Lava Jato e a Operação Zelotes, Lula discorda da avaliação do ex-ministro Gilberto Carvalho, que disse em entrevista à Folha de S.Paulo que o ex-presidente seria “alvo” dos investigadores para ser desmoralizado e preso, a fim de que não pudesse ser candidato à Presidência em 2018. Lula afirma não ter medo de ser preso. “Tenho a consciência tranquila”, completou.

PUBLICIDADE

“Eu não temo ser preso porque eu duvido que tenha alguém neste país, do pior inimigo meu ao melhor amigo meu, qualquer empresário, pequeno ou grande, que diga que um dia teve uma conversa comigo ilícita. Duvido”, afirma.

Lula rebateu também as críticas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que disse que o petista seria o pai da crise, por ter nomeado diretores da Petrobras que hoje estão presos. O tucano também afirmou que Lula seria “um político encantado pelas delícias do poder” e que “adotou o toma lá, dá cá como uma regra, não como uma exceção”.

“O FHC, toda vez que ele tiver que falar de corrupção, ele tem que lembrar da reeleição. (…) Ele tem que lembrar que o único mensalão criado, reconhecido inclusive por deputados do DEM, que disseram que receberam, foi ele. Ele tem que lembrar que nenhum processo dele era investigado. Cadê a pasta cor de rosa, que não foi investigada? O Ministério Público dele se chamava engavetador”, diz Lula.

Segundo o petista, ele “deveria ter apreço” por FHC porque sempre tiveram “uma boa convivência”. “Mas eu acho que o FHC tem um problema comigo, que é um problema de soberba. O FHC, ele sofre com o meu sucesso. Ele sofre”. Lula disse ser “difícil” se encontrar com FHC para tratar da crise política. Acha que PT e PSDB podem conversar.

Por fim, sobre os erros da presidente Dilma Rousseff no primeiro mandato, Lula considera que “houve um equívoco, por exemplo, quando não se aumentou, em 2012, o preço da gasolina”. “nós acumulamos uma inflação que só foi acontecer no segundo mandato da Dilma”, afirmou. Lula avalia que Dilma não deveria ter feito “tanta desoneração”. “Foi um equívoco desonerar. Eu não vejo uma propaganda na televisão agradecendo ao governo pela desoneração. Eu vejo propaganda contra a CPMF”, disse.

É hora ou não é de comprar ações da Petrobras? Veja essa análise especial antes de decidir:

PUBLICIDADE

 

Leia também:

Você investe pelo banco? Curso gratuito mostra como até dobrar o retorno de suas aplicações