Entrevista na TV

“Nem peguei a toalha, quanto mais jogá-la”, diz Temer sobre desistir da reforma da Previdência

"Se eu quisesse ser popular, não faria as reformas", defendeu o presidente ao comentar a falta de apoio popular na reforma da Previdência

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em mais uma participação em programas da da TV aberta, o presidente Michel Temer voltou a defender a reforma da Previdência em entrevista ao jornal da Rede TV. E diante das recentes notícias, que indicam que ele teria “jogado a toalha sobre a reforma da Previdência, ele rebateu: “Nem peguei a toalha, quanto mais jogá-la”.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

Em conversa com Boris Casoy e Amanda Klein, Temer afirmou ainda que, hoje, o governo tem cerca de 271 votos para a reforma – para aprovar o texto na Câmara são necessários 308 votos. “Se eu quisesse ser popular, não faria as reformas”, defendeu o presidente ao comentar a falta de apoio popular na reforma da Previdência.

PUBLICIDADE

Temer ainda comentou o recente fato de ter tido sua aposentadoria suspensa pela não realização da “prova de vida”. “Diariamente pode se ver que continuo vivo […] Estou muito bem de saúde”, afirmou ele durante a entrevista.

Na entrevista, o emedebista também falou sobre os candidatos de oposição, que, segundo ele, se tiverem um discurso contra o governo, estarão se posicionando por “uma inflação de 10%” e por juros mais alto. “Eu não acredito que um candidato vá defender estas coisas”, afirmou o presidente. 

Ao ser questionado se Geraldo Alckmin seria um bom candidato, Temer se esquivou e disse que gosta do nome do tucano, mas não disse quem será o “seu” candidato.

Por fim, questionado sobre os escândalos de corrupção, Temer disse que as investigações não mudaram o rumo de seu governo. O presidente disse ainda que sua imagem foi “ilameada” por conta do que ele chamou de tentativa dos execuitivos da JBS de tentar derrubá-lo.