É hoje

Ministros do STF consideram pedido de prisão inconsistente e devem manter Aécio Neves solto

Segundo a jornalista Vera Magalhães, as expectativas são de que, apesar da prisão negada, o parlamentar continue afastado de suas funções legislativas

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Apesar de a manutenção da prisão de sua irmã Andrea Neves na semana passada ter acionado novo sinal de alerta para o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e sua defesa, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal não deve votar hoje pela sua prisão, em análise de pedido feito pela Procuradoria-Geral da República que ocorre nesta terça-feira (20).

Segundo a jornalista Vera Magalhães, colunista do jornal O Estado de S. Paulo, a maioria do colegiado, a começar pelo próprio relator, ministro Marco Aurélio Mello, deve se posicionar contra a necessidade de prisão cautelar, argumentando que o caso não caracterizou flagrante delito — condição necessária para que parlamentares tenham o direito à liberdade cerceado.

As expectativas são de que, apesar da prisão negada, o parlamentar continue afastado de suas funções legislativas.

Aprenda a investir na bolsa

Ainda de acordo com o jornal, integrantes da corte reservadamente criticam o pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janto. Na avaliação de alguns magistrados, a peça é inconsistente tecnicamente. A Primeira Turma do STF é composta pelos ministros Marco Aurélio, Luiz Fux, Rosa Weber, Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes.

Na semana passada, por três votos o colegiado manteve presa Andrea Neves. Foram votos vencidos o relator Marco Aurélio e o ministro Alexandre de Moraes.