"ARMAÇÃO"

“Me matar é uma decisão sua”, diz Garotinho antes de ser transferido para Bangu

Antes de ser transferido de um hospital para o complexo penitenciário de Bangu, o ex-governador do Rio disse que "estão doidos para me levar para lá para me matar"

SÃO PAULO – O ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, discutiu com os agentes da Polícia Federal na noite desta quinta-feira (17), quando recebeu a notícia de que seria transferido do Hospital Municipal Souza Aguiar para a unidade hospitalar do complexo penitenciário de Bangu.

“Me matar é uma decisão sua”, disse Garotinho, segundo o jornal O Estado de S.Paulo, que teve acesso ao áudio da conversa que está circulando em grupos do WhatsApp. Segundo o político, ele foi responsável pela prisão de vários detentos de Bangu e que sua transferência faz parte de uma armação para matá-lo. “Sabe que quarta-feira eu tenho reunião com o dr. Janot (Rodrigo, Procurador-Geral da República) para entregar o resto da cadeia. Isso tudo foi armado. Eu não vou, cara”, afirma.

Segundo a publicação, a transferência foi determinada pelo juiz federal Glaucenir de Oliveira, da 100ª Zona Eleitoral de Campos dos Goytacazes, após denúncias de que Garotinho estaria recebendo “diversas regalias” no Hospital Souza Aguiar.

PUBLICIDADE

Após a conversa, Garotinho foi levado para uma ambulância para ser transferido. Um vídeo mostra o ex-governador resistindo, gritando e chutando os agentes da PF.  

Leia abaixo a transcrição da conversa de Garotinho com agentes da Polícia Federal:

– Mate o homem, aqui.

– A gente só precisa te levar. Se você não fizer força, é melhor.

– Levar é o cacete. Matem o homem. Eu não vou. Isaías do Borel, tem um monte de preso lá que foi tudo eu que botei na cadeia. Estão doidos para me levar para lá para me matar. Sabe que quarta-feira eu tenho reunião com dr. Janot para entregar o resto da cadeia. Isso tudo foi armado. Eu não vou, cara.

– O senhor vai. Porque o senhor está preso com decisão judicial. Nós vamos cumprir a ordem judicial

– Me matar é uma decisão sua.

– O senhor vai. A opção vai ser sua de ir na paz, ir muito bem ou (inaudível).