Criticou

Marina Silva volta ao cenário político e critica Dilma, mas rejeita impeachment

Para a ex-candidata à Presidência da República, a indignação popular não "significa que devemos romper com os processos democráticos conquistados a duras penas pela sociedade"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Depois de um longo período fora dos holofotes, a ex-candidata à Presidência da República, Marina Silva, escreveu um texto publicado no site da Rede Sustentabilidade, em que critica a gestão da presidente Dilma Rousseff (PT). No entanto, Marina, que foi ministra do Meio Ambiente no governo Lula, disse que as situações previstas na Constituição para deflagrar o impeachment ainda não estão caracterizadas.

“Se legitimamente cresce o sentimento popular de indignação e revolta com o governo Dilma e a exigência de mudanças, não significa que devemos romper com os processos democráticos conquistados a duras penas pela sociedade”, diz Marina. 

Apesar disso, ela defende que a sociedade cobre que as investigações da Polícia Federal não sofram os efeitos da influência política, com todos os envolvidos nos escândalos de corrupção afastados de seus cargos no Executivo e no Legislativo. Sobretudo, para a ex-ministra, a população deve exigir que a presidente cumpra as suas promessas de campanha. 

PUBLICIDADE

Segundo ela, “os grosseiros erros de gestão, o recrudescimento da inflação e do desemprego” não são motivos suficientes para se abrir um pedido de impeachment, mas que as mobilizações sociais devem lutar para combater as políticas social, econômica e ambiental. 

Marina também disse que ela e a Rede Sustentabilidade não apoia nem concorda com os pedidos de intervenção militar, terminando o documento fazendo um apelo “por mais democracia e não menos”.