Entrevista para França

“Lutarei até o fim para demonstrar que não estou ligada”, diz Dilma sobre Lava Jato

“Eu não estou ligada [ao escândalo]. Eu não respondo a esta questão porque eu não estou ligada. Eu sei que não estou nisso. É impossível", afirmou, em entrevista ao canal francês TV France 24

SÃO PAULO – Em entrevista ao canal francês TV France 24, a presidente Dilma Rousseff disse que é “impossível” que se aponte ligação entre ela e o escândalo de corrupção que atuava na Petrobras, deflagrado pela Operação Lava Jato. A entrevista foi realizada na última sexta-feira (5) e foi ao ar nesta segunda (8). A presidente também disse que “lutará até o fim” para provar que não tinha conhecimento dos casos de corrupção na petroleira.

“Eu não estou ligada [ao escândalo]. Eu não respondo a esta questão porque eu não estou ligada. Eu sei que não estou nisso. É impossível. Eu lutarei até o fim para demonstrar que eu não estou ligada. Eu sei o que eu faço. E eu tenho uma história por trás de mim. Neste sentido, eu nunca tive uma única acusação contra mim por qualquer malfeito. Então, não é uma questão de ‘se’. Eu não estou ligada”, disse Dilma. 

A afirmação de Dilma foi feita após o questionamento do jornalista francês de que se ela estaria disposta a assumir as consequências se as investigações apontassem que ela sabia do esquema.

PUBLICIDADE

Ela ainda afirmou que o escândalo de corrupção não pode ser chamado de “escândalo da Petrobras”, porque envolveu “cinco funcionários”, afirmando que o escândalo diz respeito a funcionários que se articularam com algumas diretorias e partidos para “obter benefícios”. “A Petrobras tem mais de 30 mil funcionários e tem cinco envolvidos. O escândalo não é o escândalo da Petrobras, é de determinados funcionários de alto nível da Petrobras”, afirmou.

Ainda na entrevista, ela defendeu as medidas de ajuste fiscal e disse que o ajuste “não paralisa” o governo nem impede investimentos federais na área de infraestrutura. “Quando mudanças são necessárias, temos que ter coragem de fazê-las. É o que estamos fazendo. Estamos fazendo ajustes para voltar a crescer rápido”.