Lula volta a pedir a libertação de Julian Assange

Em post no X, Lula disse esperar que "a perseguição contra Assange termine" e ele volte a ter liberdade o mais rápido possível"; Supremo Tribunal de Londres pode votar pela extradição nesta segunda-feira

Agência Brasil

Adesivo representando o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, colado em uma cabine telefônica em Londres -19 /05/2024 (Foto: Hollie Adams/Reuters)

Publicidade

Na véspera da decisão do Supremo Tribunal de Londres, que pode nesta segunda-feira (20) extraditar Julian Assange para os Estados Unidos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a pedir neste domingo a libertação do jornalista e fundador do site WikiLeaks, que enfrenta acusação de espionagem nos (EUA).

Em post no X, Lula afirmou que o jornalista deveria ter sido premiado por revelar “segredos dos poderosos” ao invés de estar preso. “Espero que a perseguição contra Assange termine e ele volte a ter a liberdade que merece o mais rápido possível”, escreveu na rede social.

Assange enfrenta 18 acusações baseadas na Lei de Espionagem dos EUA. Se condenado, pode pegar até 175 anos de prisão.

Continua depois da publicidade

Ele é acusado por ter revelado 250 mil documentos militares e diplomáticos confidenciais que revelaram crimes de guerra e abusos de direitos humanos ocorridos nas guerras do Afeganistão e do Iraque.

As autoridades americanas querem condenar Assange argumentando que suas ações no WikiLeaks prejudicaram a segurança nacional dos EUA, colocando em perigo a vida de agentes norte-americanos, segundo a Reuters.

A possível extradição do jornalista é criticada por organizações de jornalistas e entidades de direitos humanos. “As acusações com motivação política representam um ataque sem precedentes à liberdade de imprensa e ao direito do público à informação – procurando criminalizar a atividade jornalística básica”, afirma a campanha FreeAssange, liderada pela esposa do jornalista, Stella Assange.

Continua depois da publicidade

(Agência Brasil)