Lula elogia Haddad e diz que trabalha para ele ser o “melhor ministro da Fazenda do país”

Presidente também disse que Haddad foi o melhor ministro da Educação que o Brasil já teve

Equipe InfoMoney

Lula e Fernando Haddad visitam a Unicamp, em Campinas, e conversam com estudantes (Foto: Ricardo Stuckert)

Publicidade

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aproveitou o evento de aniversário da USP (Universidade de São Paulo) na quinta-feira (25) para fazer elogios ao ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), que vem tentando acomodar diferentes correntes de pressão dentro e fora do governo para colocar em prática o plano de zerar o déficit fiscal brasileiro.

Em seu discurso para uma plateia de acadêmicos da USP e representantes de diversos órgãos públicos, Lula afirmou que Haddad, que é bacharel em direito, mestre em economia e doutor em filosofia pela USP e também estava no evento, foi o “melhor ministro da Educação” que o Brasil já teve (o petista ocupou a pasta entre 2005 e 2012, durante os governos de Lula e Dilma Rousseff). E que agora trabalha para que ele também seja o melhor ministro da Fazenda do país.

“Em um dos cargos mais importantes do governo, eu tenho o cara que foi, na época, o melhor ministro da Educação desse país, Fernando Haddad. E eu estou trabalhando para que ele seja o melhor ministro da Fazenda do país”, afirmou Lula.

Continua depois da publicidade

Leia também:
Fernando Haddad: o ministro de Lula que vai baixando a guarda do mercado

A declaração é feita no momento em que o ministro trabalha para entregar em 2024 um resultado primário zero (déficit zero), para cumprir a meta estabelecida no Orçamento para o ano, mas tem enfrentado resistências no Congresso, tanto na oposição quanto na própria base de apoio ao governo, e também de alas do governo e do PT, que não enxergam um déficit primário (receitas maiores que receitas) como algo negativo.

Em outubro, Lula chegou a dizer publicamente que dificilmente o governo atingirá o resultado primário zero em 2024, o que gerou críticas entre economistas do mercado financeiro. Desde então, porém, Haddad tem reiterado que a meta é zerar o déficit público neste ano e voltar a ter superávit a partir de 2025.

O evento era de comemoração dos 90 anos da USP e ocorreu na Sala São Paulo, no centro da capital paulista. Também estavam o vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Geraldo Alckmin, e o ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha (PT). Apontado como um possível adversário de Lula na próxima campanha presidencial, em 2026, o governador do estado, Tarcísio de Freitas (Republicanos), não compareceu ao evento.

(Com Reuters)

Newsletter

Infomorning

Receba no seu e-mail logo pela manhã as notícias que vão mexer com os mercados, com os seus investimentos e o seu bolso durante o dia

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.