Lula define juiz e abre caminho para TRE-PR pautar julgamento sobre cassação de Moro

O advogado José Rodrigo Sade, que integrava lista tríplice encaminhada a Lula, assumirá a cadeira remanescente no tribunal. Moro é acusado de abuso de poder econômico durante a campanha de 2022

Fábio Matos

O ex-juiz Sergio Moro, atualmente senador pelo União Brasil do Paraná (Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo)

Publicidade

Escolhido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o advogado José Rodrigo Sade assumirá a cadeira remanescente no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), que deve julgar o senador Sergio Moro (União Brasil) em um processo que pode levar à cassação de seu mandato.

O nome de Sade integrava uma lista tríplice que foi encaminhada a Lula pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no começo de fevereiro. Sua indicação como juiz titular foi publicada na edição desta quinta-feira (22) do Diário Oficial da União. Ele assumirá a vaga deixada por Thiago Paiva dos Santos, que encerrou seu mandato no TRE-PR no fim de janeiro.

Após a confirmação do nome de Sade, com a formação completa do colegiado, o tribunal deve marcar nos próximos dias a data do julgamento de Moro. O TRE-PR é composto por sete integrantes.

Continua depois da publicidade

No fim de janeiro, o relator do processo no TRE-PR, Luciano Falavinha, concluiu sua análise do caso e liberou a ação para julgamento. Em fevereiro, ao assumir a presidência do tribunal, o desembargador Sigurd Roberto Bengtsson anunciou que o caso só iria ao plenário após a escolha e posse do sétimo integrante da corte.

Moro é acusado pelo PT, de Lula, e pelo PL, do ex-presidente Jair Bolsonaro, de abuso de poder econômico durante a campanha eleitoral de 2022. As legendas pedem a cassação do mandato parlamentar do ex-juiz da Lava Jato, sua inelegibilidade por oito anos e a realização de uma nova eleição para o Senado no Paraná.

No fim de 2021, Moro se filiou ao Podemos e era cogitado como possível candidato do partido à Presidência da República. Em março de 2022, a sete meses das eleições, o ex-juiz deixou a legenda e migrou para o União Brasil, como pré-candidato ao Senado por São Paulo. Em junho, após ter a troca de domicílio eleitoral vetada pela Justiça, Moro anunciou a candidatura a uma vaga de senador pelo Paraná.

Fábio Matos

Jornalista formado pela Cásper Líbero, é pós-graduado em marketing político e propaganda eleitoral pela USP. Trabalhou no site da ESPN, pelo qual foi à China para cobrir a Olimpíada de Pequim, em 2008. Teve passagens por Metrópoles, O Antagonista, iG e Terra, cobrindo política e economia. Como assessor de imprensa, atuou na Câmara dos Deputados e no Ministério da Cultura. É autor dos livros “Dias: a Vida do Maior Jogador do São Paulo nos Anos 1960” e “20 Jogos Eternos do São Paulo”