Investigação

Lava-Jato em SP denuncia Lula, irmão e executivos da Odebrecht por corrupção

A denúncia diz que Frei Chico, irmão de Lula, recebeu uma mesada da Odebrecht entre 2003 e 2015, com um valor que chega a R$ 1,1 milhão

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A força-tarefa da Lava-Jato em São Paulo denunciou nesta segunda-feira (9) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seu irmão, José Ferreira da Silva (conhecido como Frei Chico), e executivos da Odebrecht  por corrupção.

No caso de Lula e seu irmão a acusação é de corrupção passiva, enquanto o ex-diretor da Odebrecht Alexandrino Alencar, Marcelo Odebrecht e Emilio Odebrecht foram acusados de corrupção ativa.

A denúncia diz que Frei Chico recebeu uma mesada da Odebrecht entre 2003 e 2015, com um valor que chega a R$ 1,1 milhão, divididos em repasses de R$ 3.000 a R$ 5.000 ao longo destes anos.

PUBLICIDADE

Segundo a acusação, Lula sugeriu que a Odebrecht contratasse seu irmão para intermediar um diálogo entre a empreiteira e trabalhadores. Porém, quando este contrato acabou, em 2002, Frei Chico passou a receber esta mesada como forma de manter relações que favorecessem a empresa.

Defesa rebate
A defesa de Lula afirmou que a denúncia “repete as mesmas e descabidas acusações já apresentadas em outras ações penais”. “Lula jamais ofereceu ao Grupo Odebrecht qualquer ‘pacote de vantagens indevidas’, tanto é que a denúncia não descreve e muito menos comprova qualquer ato ilegal praticado pelo ex-presidente”, diz a nota.

“Mais uma vez o Ministério Público recorreu ao subterfúgio do ‘ato indeterminado’, numa espécie de curinga usado para multiplicar acusações descabidas contra Lula”, afirma o advogado Cristiano Zanin Martins. “O ex-presidente também jamais pediu qualquer vantagem indevida para si ou para qualquer de seus familiares”, completou.

Insira seu email abaixo e receba com exclusividade o Barômetro do Poder, um estudo mensal do InfoMoney com avaliações e projeções das principais casas de análise política do país: