José Sarney quer reduzir 50% dos diretores do Senado e modernizar a Casa

Acordo ficará em vigor a princípio por 12 meses, mas poderá ter seu prazo prorrogado a critério da FGV e do Senado

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Na manhã desta quarta-feira (18), os presidentes do Senado, José Sarney, e da Fundação Getulio Vargas, Carlos Ivan Simonsen Leal, assinaram protocolo de intenções destinado ao plano de modernização da Casa.

Entre os encargos prestados pela FGV ao Senado estão auditoria administrativa, planejamento e avaliação de recursos humanos, avaliação e monitoramento de processos e resultados e, principalmente, economia em diversos serviços.

Pouco antes de assinar o documento, o presidente do Senado declarou que tem a intenção de reduzir em 50% os cargos de diretoria da instituição, que hoje somam 136.

Prazo

Aprenda a investir na bolsa

O acordo, que pode ter seu prazo prorrogado a critério das partes envolvidas, a princípio estará em vigor por 12 meses. Também ficou registrado que uma possível rescisão do protocolo não irá interferir na continuidade dos serviços que já estavam em andamento.

“Temos uma estimativa de no máximo seis meses para dar uma primeira abordagem a essa solicitação do Senado”, afirmou Bianor Scelga Cavalcanti, coordenador da iniciativa, logo após o anuncio divulgado na Sala de Audiências.

Cumprindo promessas

Entre os principais compromissos assumidos por Sarney ao tomar posse da presidência do Senado em março, estavam o corte de gastos e a modernização da Casa.

“(…) Estou convocando a FGV. Nosso objetivo é modernizar a Casa. Vamos ter, entre outras coisas, uma seleção pelo mérito. Ocupar as diretorias também numa seleção pelo mérito”, afirmou o presidente do Senado.