Japão pede que ambientalistas parem de perseguir os navios baleeiros

O governo do país também afirmou que os ambientalistas australianos que estavem retidos em barco foram bem tratados

SÃO PAULO – O governo japonês pediu que os ambientalistas australianos parem de perseguir os navios baleeiros do país. No pronunciamento, o Japão também afirmou que os ambientalistas que estavam presos em um dos barcos japoneses foram bem tratados pela tripulação.

O australiano Benjamin Potts, de 28 anos, e o britânico Giles Lane, de 35, subiram em um navio para protestar contra a caça de baleias na última terça-feira (15) e foram liberados pelos japoneses somente na madrugada desta sexta-feira (18).

Luta contra a caça

Os dois militantes, que fazem parte do movimento Sea Sheperd, foram entregues ao barco australiano Ocean Viking, e logo depois, transferidos para a embarcação da organização ambiental.

PUBLICIDADE

Os dois protestantes afirmaram que irão continuar a luta contra os baleeiros japoneses, até que a caça aos animais seja interrompida. Eles também afirmaram que, após subirem no barco japonês, a tripulação tentou jogá-los para fora.

A caça comercial de baleias está proibida desde 1986, porém, o Japão continua a realizá-la, com a justificativa de que os animais serão utilizados para fins científicos.