Pedido negado

Governo da Venezuela nega autorização para avião com comitiva de senadores do Brasil

As questões frente os problemas de autorização foram confirmados pelo presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado (CRE), senador Aloysio Nunes Ferreira (SP), e pelo presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG)

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O governo da Venezuela negou autorização para que o avião militar com uma comitiva de de senadores brasileiros sobrevoe e pouse no país, na próxima quinta-feira (18).

As questões frente os problemas de autorização foram confirmados pelo presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado (CRE), senador Aloysio Nunes Ferreira (SP), e pelo presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG). Renan Calheiros, presidente do Senado, foi acionado para reverter a situação.

Renan falou por duas vezes com o ministro da Defesa, Jaques Wagner. Na última segunda-feira, Aécio anunciou em uma coletiva de imprensa, que viajaria à Venezuela ao lado de outros senadores, para pressionar o governo do presidente Nicolás Maduro a libertar presos políticos e marcar eleições parlamentares.

PUBLICIDADE

Alguns avaliam que, sem a autorização, a viagem poderá até ser adiada ou mesmo cancelada. Porém, senadores buscam uma alternativa, como destacou Aécio em entrevista ao jornal O Globo: “houve uma solicitação por parte do presidente do Senado Federal ao Ministro da Defesa, que se dispôs, inclusive a disponibilizar uma aeronave, mas por ser uma aeronave militar, precisamos de uma autorização. Se não houver, vamos com uma do Senado Federal”, afirmou.

Estão presos na Venezuela o líder do partido Vontade Popular, Leopoldo López, o ex-prefeito de San Cristóbal Daniel Ceballos, do mesmo partido, e o prefeito metropolitano de Caracas, Antonio Ledezma. Todos são opositores ao governo Maduro.