Política

Gilmar Mendes diz que caixa dois ameaça eleições de 2018

Para evitar os problemas, ele defendeu a realização de uma reforma político-eleitoral até setembro deste ano, com estas novas regras valendo já para o pleito de 2018

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Segundo o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes o sistema de caixa 2 descoberto com os depoimentos da Odebrecht são um risco às eleições de 2018. A avaliação foi feita nesta segunda-feira (6) em evento no Sescon (Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis) de São Paulo.

Para evitar estes problemas, ele defendeu a realização de uma reforma político-eleitoral até setembro deste ano, com estas novas regras valendo já para o pleito de 2018. “Segundo as revelações que agora estão saindo da Lava Jato e da Odebrecht, talvez o caixa dois tenha sido tão forte ou até mais forte do que o caixa um”, disse.

“Imagine o que vai ser uma eleição presidencial, quando vamos ter essa corrida de elefantes, com um sistema sem regulação. Esse tema precisa estar na agenda, e esse é o grave problema. Tem que estar na agenda até setembro, por conta do princípio da anualidade”, continuou o ministro.

PUBLICIDADE

Mendes, que também é presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), disse considerar a reforma político-eleitoral como “a mãe das reformas”, para combater falhas “no sistema de financiamento e na multiplicação de partidos”. Para ele, as iniciativas no sentido de reduzir os danos do sistema são, em geral, “muito fracas”.

“Precisamos encontrar um outro meio de financiamento que não seja esse (atual), simplesmente das pessoas físicas. Alguma coisa tem que se fazer, ou crowdfunding (financiamento coletivo) ou alguma coisa que se regularize em torno desse tema”, afirmou no evento.