Fraude no sistema de pensão japonês tem mais de um culpado

Comitê de investigação concluiu que as fraudes ocorreram na implantação do sistema on-line, entre 1979 e 1989

SÃO PAULO – O Comitê governamental que está investigando a Agência de Seguro Social do Japão afirmou que nenhum funcionário de alto escalão será responsabilizado individualmente pela falsificação dos registros de pensões do país.

Os diretores da Agência, porém, foram todos considerados responsáveis pela falta de supervisão no programa de pensão. Os membros do comitê também consideraram que os ministros e vice-ministros do bem-estar também falharam ao não exigir relatórios regularmente, para poder controlar a situação.

O comitê de investigação foi criado em junho para descobrir os responsáveis pelas 50 milhões de contas cujos beneficiários permaneciam desconhecidos.

Relatório do Comitê

PUBLICIDADE

O relatório final do comitê aponta que o problema foi causado diretamente pela falta de um sistema na agência que controlasse cada registro para pagamento de pensão.

Alguns membros insistiram que o responsável seria o chefe da agência, que estava no comando quando o sistema foi computadorizado. Porém outros membros acreditam que a culpa não seja somente de uma pessoa, pois o sistema on-line foi gradualmente implantado, entre 1979 a 1989.