Pós-mudanças

“Estão tentando nos cooptar para o golpe”, diz pai de Picciani sobre ala do PMDB

Pai do deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), Jorge Picciani reagiu à destituição do seu filho da liderança do PMDB na Câmara dos Deputados

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O pai do deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), Jorge Picciani, reagiu à destituição do seu filho da liderança do PMDB na Câmara dos Deputados. Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, Jorge, que é presidente do PMDB-RJ, afirmou que a manobra foi feita com a articulação do grupo de peemedebistas de oposição, mas que ela não os fará mudar de posição em relação ao impeachment da presidente Dilma Rousseff. 

Eles (peemedebistas a favor da saída da presidente) estão tentando nos cooptar para o golpe desde julho, mas não nos sensibilizaram. Entendemos que a presidente não cometeu crime de responsabilidade e que a democracia é mais valiosa que qualquer tipo de poder. Mesmo que Leonardo fique sozinho, estará até o final com a presidente”, afirmou. 

Vale lembrar que Picciani liderou a dissidência do PMDB do Rio de Janeiro, que apoiou Aécio Neves (PSDB) para a presidência em 2014, mas teve uma reaproximação de Dilma nos últimos meses. Ele afirma que é preciso respeitar o resultado da eleição e que o PMDB deve chegar à presidência pelo voto. Porém, negou que por trás da disputa esteja a intenção do PMDB do Rio de ocupar o comando do partido, hoje comandado pelo vice-presidente Michel Temer. 

Aprenda a investir na bolsa

“São coisas diferentes. Eu já havia dito ao Temer que nosso sentimento é o de apoiá-lo na presidência do partido, e minha posição permanece a mesma. O PMDB do Rio deve aumentar a participação (na direção nacional do partido), mas não pretende disputar com Temer”.

Hoje, o Estadão e a Folha destacaram que Temer articulou a saída de Picciani; segundo a Folha, o grupo do vice ameaça antecipar a convenção nacional do PMDB caso o governo tente interferir na disputa interna do partido na Câmara. A convenção está marcada para março e discutirá a possibilidade de ruptura com o governo Dilma. 

É hora ou não é de comprar ações da Petrobras? Veja essa análise especial antes de decidir: