Até cabeleireiro

Esquema da Petrobras pagou até cabeleireiro de Dilma, diz O Globo

"Cada ida de Kamura custava R$ 5 mil. Há também indicações de que um teleprompter especial foi comprado para Dilma sem ser através de meios oficiais, para escapar da burocracia da aquisição"

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – De acordo com o colunista do jornal O Globo Merval Pereira, a Procuradoria-Geral da República já tem documentos que revelam que Dilma Rousseff tinha conhecimento do teor das negociações sobre a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA. Vale ressaltar que, na última quinta-feira, foi tornado público o depoimento da delação premiada do ex-diretor de Petrobras Nestor Cerveró. Nela, o executivo acusa a presidente afastada Dilma Rousseff de ter mentido sobre a compra da refinaria de Pasadena e disse supor que a petista sabia que políticos do PT recebiam propina da estatal.

Os envolvidos na venda da refinaria trocavam mensagens em rede de e-mails do Gmail que não era rastreável, afirma o colunista. Em uma dessas mensagens, na véspera da reunião decisiva, há a informação de que “a ministra” já estava ciente dos arranjos dos advogados.

Além disso, afirma Merval, em outras mensagens, há informações sobre pagamentos de itens pessoais da presidente pelo esquema montado na Petrobras, como o cabeleireiro Celso Kamura, que viajava para Brasília às custas do grupo. “Cada ida de Kamura custava R$ 5 mil. Há também indicações de que um teleprompter especial foi comprado para Dilma sem ser através de meios oficiais, para escapar da burocracia da aquisição”.

Aprenda a investir na bolsa

Em nota enviada na tarde desta sexta, Celso Kamura rebateu a notícia e afirmou que deslocamentos e atendimentos de corte e coloração prestados à Presidente afastada Dilma Rousseff, mensalmente ou bimestralmente, foram contratados e pagos pessoalmente por ela, não havendo nenhum vínculo com o Governo ou agências de Marketing intermediárias. Já os serviços para campanhas eleitorais e pronunciamentos oficiais foram contratados e pagos pela empresa Pólis Propaganda e Marketing, que cuidou também de passagens e estadias. 

Ele ainda afirmou que o valor cobrado para cada trabalho realizado foi muito inferior ao citado nas referidas notícias e foram emitidas notas fiscais para todos estes trabalhos, devidamente declaradas ao Fisco, estando totalmente de acordo com a legislação brasileira. “Celso Kamura sempre se pautou pela transparência e clareza em toda a sua trajetória profissional”, conclui a nota.