Pedido de perdão

Empresários que xingaram Mantega em restaurante voltam atrás e pedem perdão

Mantega assinou ontem os pedidos de desculpas, concedendo aos empresários seu "perdão", exigência da lei para que a ação judicial seja suspensa, diz Folha

SÃO PAULO – Os agressores do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega em um restaurante voltaram atrás e agora pedem perdão, segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo

Depois de ter apresentado queixa-crime por injúria, calúnia e difamação, os dois empresários que xingaram Mantega procuraram o advogado que entrou com a ação José Roberto Batochio, e propuseram acordo, de acordo com informações da colunista. São eles: o engenheiro José João Armada Locoselli e o empresário Marcelo Maktas Melsohn.

Melsohn disse que ofendeu Mantega “irrefletidamente”, afirma estar arrependido e diz reconhecer que ele é “probo, honesto e digno”. Já Locoselli declara que nada sabe sobre o economista que “possa desaboná-lo em sua vida pública”.

PUBLICIDADE

Mantega assinou ontem os dois pedidos de desculpas, concedendo aos empresários seu “perdão”, exigência da lei para que a ação judicial seja suspensa.

A hostilidade a Mantega foi gravada por um celular e divulgada em vídeo, que viralizou na internet.  Após a agressão, três vídeos passaram a circular na web, com imagens de celular gravando o momento em que ele foi hostilizado. No primeiro e no segundo vídeos, uma das pessoas diz: “Ladrão! Ladrão, sim, senhor! Palhaço, sem-vergonha! Vocês estão acabando com o país! Acabaram com tudo!”.

No terceiro vídeo, um homem e uma mulher hostilizam o ex-ministro: “a gente não vai mais ficar calado!”. E o rapaz diz em seguida: “vergonha! Vergonhoso o que o senhor fez e o seu partido”.

Mantega, nos diversos vídeos, levanta-se da mesa e vai próximo aos agressores, mas não é possível saber se ele fala algo. 

Antes, o ex-ministro havia sido hostilizado no hospital Albert Einstein e na saída do restaurante Aguzzo, em Pinheiros.

Confira os vídeos: 

PUBLICIDADE