Rebatendo revista

Em tom crítico, Instituto Lula rebate revista e diz que ex-presidente não é investigado

Instituto Lula divulgou uma longa nota intitulada "As sete mentiras da capa de Época sobre Lula", rebatendo informações da publicação sobre suposto tráfico de influências investigado pelo MP

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Três dias após a publicação de matéria da revista Época em que diz que o ex-presidente Lula teria praticado tráfico de influência, o Instituto Lula divulgou uma longa nota intitulada “As sete mentiras da capa de Época sobre Lula”, rebatendo informações da publicação sobre o assunto. 

De acordo com a nota, a primeira mentira é dizer que Lula está sendo investigado pelo Ministério Público e que ele seria  “formalmente suspeito” de dois crimes. A nota do Instituto afirma que  Núcleo de Combate à Corrupção da Procuradoria da República do Distrito Federal não abriu qualquer tipo de investigação sobre as atividades do ex-presidente Lula.

“O jornal O Globo, do mesmo grupo editorial, ouviu a propósito a procuradora Mirella Aguiar sobre o feito em curso e ela esclareceu: há um ‘procedimento preliminar’, decorrente de representação de um único procurador, uma ‘notícia de fato’, que poderá ou não desdobrar-se em investigação ou inquérito, ou simplesmente ser arquivada”, afirmou a nota do instituto.

PUBLICIDADE

A nota do Instituto Lula também questiona a indicação de Lula seria lobista para privilegiar “seus clientes”. “Que fique bem claro, como respondemos à revista: o ex-presidente faz palestras e não lobby ou consultoria”, afirmou. 

A nota destacou ainda que Lula viajou ao exterior para falar das políticas da gestão dele para a redução da pobreza. O instituto também nega que Lula tenha atuado como lobista ou consultor e diz que ele vive de palestras.

Após a publicação desta nota, a Época reafirmou manter integralmente o que publicou em sua reportagem desta semana.