Líder do governo

Em meio a rumores, Humberto Costa diz que não há hipótese de Dilma renunciar

Líder do governo no Senado afirmou, contudo, não ter informações de que Dilma tenha a intenção de enviar uma proposta de convocar novas eleições - se o fizer, será sem deixar o cargo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O líder do governo no Senado, Humberto Costa (PT-SE) afirmou que não há hipótese da presidente Dilma Rousseff renunciar. Caso ela encaminhe uma proposta de novas eleições para este ano, fará sem deixar o cargo, afirmou o parlamentar, de acordo com fala dele ao jornal Valor.

Porém, Costa afirmou não ter informações de que Dilma tenha a intenção de enviar uma proposta de convocação de novas eleições, mas destacou que, se houver o projeto, o “Congresso é soberano” nesse que “não é um processo rápido”.

Hoje, o jornal O Globo destacou que Dilma deve assinar até sexta-feira uma proposta de emenda constitucional antecipando a eleição presidencial de 2018 para 2 de outubro agora, juntamente com as eleições municipais. A presidente e o PT acreditam que com isso poderiam criar um sério constrangimento para Michel Temer junto a boa parte do eleitorado. 

Aprenda a investir na bolsa

De acordo com o jornal, a equipe do vice recebeu a informação de que Dilma estaria preparando um pronunciamento em rádio e TV em que renunciaria ao cargo e pediria ao vice para fazer o mesmo. Mas a reação do vice é taxativa, diz a publicação: a chance de ele aceitar é nula.

Na semana passada, os senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Telmário Mota (PDT-RO) e Angela Portela (PT-RR) se reuniram com o ministro-chefe do gabinete da Presidência, Jaques Wagner, no Palácio do Planalto, para entregar uma carta à presidente Dilma pedindo que ela apoie a ideia de uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) propondo novas eleições presidenciais este ano, para um mandato tampão de dois anos.

A PEC propõe a eleição de presidente e vice-presidente em outubro próximo, junto com as eleições municipais. A posse presidencial seria em janeiro do ano que vem e o mandato terminaria no fim de 2018.

Na carta, os senadores apelam para a “grandeza e coragem” das lideranças políticas para superar a “gravidade do momento por que passa a nação brasileira”.

(Com Agência Brasil) 

Especiais InfoMoney:

PUBLICIDADE

Ações da Carteira InfoMoney rendem 32,4% no quadrimestre; baixe nosso portfólio recomendado de graça

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa