Tom conciliador

Em meio à debate sobre impeachment “pegando fogo”, Dilma janta com Eduardo Cunha

Ontem, o líder, antigo desafeto da presidente, foi recebido pela presidente  para um jantar no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência

SÃO PAULO – Enquanto o debate sobre o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff “pega fogo” e lideranças da oposição já cogitam pedi-lo por crime de responsabilidade fiscal, a presidente busca adotar um tom de conciliação com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Ontem, o líder, antigo desafeto da presidente, foi recebido pela presidente  para um jantar no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência. Cunha tem poder de abrir ou recusar um eventual processo de impedimento.

E, segundo a Folha de S. Paulo, Dilma quis saber do peemedebista detalhes do projeto de terceirização que será votado na próxima quarta-feira na Câmara e até conversaram sobre amenidades, como a dieta da presidente, que já a fez perder 13 quilos. A esposa de Cunha, Claudia Cruz, que o acompanhou no jantar, já presenteou Dilma com uma cesta de produtos sem glúten e é adepta do ciclismo.