Memórias

Em 1996, “Temer cedeu além de todos os limites” e reforma da Previdência foi “desfigurada”, diz FHC

"Na última hora, o Michel Temer mudou coisas muito importantes que havia combinado conosco, tornando a reforma previdenciária muito pouco eficaz para uma porção de abusos", disse o ex-presidente no primeiro volume de seus diários

SÃO PAULO – Em seu livro de memórias do tempo em que presidiu o Brasil, Fernando Henrique Cardoso lembra de um episódio desconfortável para Michel Temer, que hoje tenta conquistar apoio suficiente para aprovar uma reforma na Previdência. Há 21 anos, conta o tucano, como relator na Câmara dos Deputados da reforma enviada pelo governo, desfigurou o texto original. “A reforma da Previdência foi desfigurada, o Temer cedeu além de todos os limites”, diz um trecho destacado por reportagem do jornal Folha de S. Paulo.

“Na última hora, o Michel Temer mudou coisas muito importantes que havia combinado conosco, tornando a reforma previdenciária muito pouco eficaz para uma porção de abusos”, disse FHC no primeiro volume de seus diários. O relato expõe uma face antagônica de Temer, que hoje faz do uso da narrativa de abusos e distorções na Previdência uma de suas armas para promover um ajuste, sob a justificativa de impossibilidade de sustentação do regime no longo prazo.

Conta o jornal paulistano que, na época, Temer havia desistido de aumentar em cinco anos a proposta de idade mínima para servidores, que ficou, naquela versão, em 55 anos (homem) e 50 anos (mulheres).

PUBLICIDADE

Em seu livro, FHC chega a reclamar da falta de disposição dos parlamentares em alterar as regras de aposentadoria para combater distorções. “Dá para perceber que realmente o Congresso não quer mudar nada no que diz respeito às corporações e aos privilégios”.