Política

Eduardo Paes é alvo de busca e apreensão e vira réu em investigação no Rio

Operação ocorre a menos de 20 dias do início do período de campanha pelas eleições municipais, mas ex-prefeito pode concorrer mesmo sendo réu

SÃO PAULO – O ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (DEM) foi alvo de um mandado de busca e apreensão na manhã desta terça-feira (8) e virou réu na Justiça Eleitoral por corrupção, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica eleitoral, segundo a emissora GloboNews. A denúncia foi apresentada pelo Ministério Público do Rio e aceita pelo juiz Flávio Itabaiana Nicolau.

A operação ocorre a menos de 20 dias do início do período de campanha pelas eleições municipais. Eduardo Paes é pré-candidato e aparece como líder nas pesquisas de intenção de voto para a capital fluminense.

Agentes cumpriram mandado de busca e apreensão na casa do ex-prefeito, na zona sul do Rio. Segundo reportagem da GloboNews, a Procuradoria-Geral do Município do Rio afirma ter encontrado “elementos indicativos de que valores oriundos dos cofres públicos do Município foram desviados”.

PUBLICIDADE

O juiz Flávio Itabaiana, responsável pelo processo, é o mesmo que atuou no caso das “rachadinhas” envolvendo o gabinete do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) à época em que o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) era deputado estadual na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

Conta a reportagem que Itabaiana também aceitou uma denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e tornou Paes e outros quatro investigados réus por crimes de corrupção, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

Em nota, a defesa de Eduardo Paes disse que a busca em sua casa “foi uma tentativa clara de interferência do processo eleitoral”. Os advogados dizem que não tiveram acesso aos termos da denúncia e que irão se pronunciar quando souberem dos detalhes do processo.

O fato de ter virado réu não impede Paes de disputar a eleição – a lei da Ficha Limpa apenas veda candidaturas de condenados por decisão de órgão colegiado. O caso, porém, traz impactos à imagem do candidato e pode influenciar na disputa pela prefeitura do Rio.