Denúncia de Janot

“E para mim? O que tem?”, teria perguntado Temer a executivo da J&F em encontro

Conforme ressalta o blog do jornalista Fausto Macedo, d'O Estado de S. Paulo, o procurador-geral chamou atenção para a "relação espúria" mantida entre a holding e o peemedebista nos últimos anos

SÃO PAULO – Na denúncia inédita apresentada contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva, o procurador-geral da República Rodrigo Janot transcreveu uma frase que os delatores da JBS atribuíram ao peemedebista. “E para mim? O que tem?”, teria afirmado o presidente, segundo Ricardo Saud, executivo da J&F, durante reunião na casa de Temer em São Paulo, em 2014.

Conforme ressalta o blog do jornalista Fausto Macedo, d’O Estado de S. Paulo, o procurador-geral chamou atenção para a “relação espúria” mantida entre a holding e o peemedebista nos últimos anos, segundo Saud e o dono da JBS, Joesley Batista.

Descreve Janot na peça que Temer detalhou que, em 2015, interveio junto ao presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo, quando foi embargada a obra da Eldorado de construção de terminal de cargas no Porto de Santos. Ainda segundo o procurador, Saud também contou ter assistido a um jogo da Copa do Mundo na casa do presidente, em São Paulo, quando levou bilhete de Joesley sobre valores discutidos com senadores para apoiar o PT na campanha presidencial de 2014.

PUBLICIDADE

Segundo o executivo da J&F, o peemedebista se indignou com a situação, afirmando que seu partido tinha que passar por ele e questionando “e para mim? O que tem?”. A procuradoria conta ainda que, em 2014, Temer voltou a s encontrar com Saud afirmando que lhe tinha sido destinado o valor de R$ 15 milhões oriundos de propina em contratos do BNDES e com fundos de pensão.