Pedido de paz

Dilma tenta trégua com Temer após carta e reunião pode ocorrer ainda hoje

A presidente teria enviado o ministro da Advocacia-Geral da União, Luiz Inácio Adams, e o ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner para tentar agendar uma reunião

SÃO PAULO – Com o clima de tensão instalado no Planalto após a divulgação da carta que o vice Michel Temer escreveu para a presidente Dilma Rousseff, a petista estaria se agilizando para tentar amenizar o cenário. Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, Dilma enviou dois emissários para falar com o peemedebista buscando um encontro para conversarem sobre o assunto, e a reunião pode ocorrer ainda nesta terça-feira (8).

De acordo com a publicação, o primeiro emissário foi o ministro da Advocacia-Geral da União, Luiz Inácio Adams, que chegou ao Palácio do Jaburu ainda na noite de ontem para tentar agir como “bombeiro” na crise que se instalara, após a carta de Temer ser vazada na imprensa. O vice se queixou que o governo o trata como traidor e que estava conspirando contra a presidente para assumir o seu lugar após o impeachment.

O segundo enviado foi o ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, que, no meio da tarde desta terça, telefonou para Temer, a pedido de Dilma, para levar um recado da presidente que ela gostaria de encontrar com ele, ainda hoje, para uma conversa. Até o início da tarde, este encontro estava sendo completamente descartado. Mas, depois das intermediações, ficou acertado que Temer aguardaria o chamado de Dilma, que poderia acontecer ainda hoje, ao final da agenda de ambos.

PUBLICIDADE