Repercussão

Dilma só demitiu Graça Foster quando ela falou a verdade sobre a Petrobras, diz Aécio

Em sua página no Facebook, senador disse que o curioso é que depois de mais um ano fazendo de tudo para proteger Dilma, Graça caiu quando falou a verdade; mas queda da executiva era inevitável

SÃO PAULO – Logo após a confirmação de que Graça Foster não seria mais a presidente da Petrobras (PETR3;PETR4), a oposição ao governo Dilma Rousseff se manifestou sobre a saída da executiva. 

O senador mineiro Aécio Neves (PSDB-MG) se manifestou novamente sobre a Petrobras e criticou o governo Dilma Rousseff em vídeo divulgado através de sua página no Facebook e também por nota emitida por sua assessoria de imprensa.

Segundo ele, o “curioso na saída de Graça Foster da presidência da Petrobras é que depois de mais de um ano fazendo de tudo para proteger a presidente da República, sua amiga Dilma Rousseff, a presidente Graça Foster resolveu falar a verdade e, há poucos dias, admitiu no balanço da empresa, uma perda de ativos de mais de R$88 bilhões. No mesmo momento, admitiu um prejuízo de mais de R$ 2,5 bilhões pelo início das obras feitas irresponsavelmente nas refinarias do Ceará e do Maranhão. Falar a verdade não faz bem a ninguém neste governo”. 

PUBLICIDADE

Já em nota divulgada pela assessoria, ele afirmou que a queda da presidente [da Petrobras], Graça Foster era inevitável. “A presidente da República achou que mantendo Graça à frente da Petrobras ela estaria blindada das irresponsabilidades e dos desvios que ocorreram na companhia. A partir de agora, quero afiançar, estaremos instalando a CPMI no Congresso Nacional para que todos os desvios apontados continuem a ser investigados”, afirmou.