Desabafo

“Dilma envergonha o nosso país lá fora”, detona Feldman

O ex-coordenador da campanha de Marina Silva afirmou que a ex-senadora acatou todos os pedidos de aparição de Aécio; “se ele tivesse pedido, ela teria feito mais”.

SÃO PAULO – Após a divulgação das pesquisas do Datafolha e do Ibope, que mostraram que Dilma Rousseff, presidenciável do PT, ampliou vantagem sobre Aécio Neves, do PSDB, Walter Feldman, ex-coordenador da campanha de Marina Silva, não poupou críticas ao governo petista.

Aliado do tucano, o deputado licenciado da Rede Sustentabilidade afirmou que a candidata à reeleição não representa bem o Brasil no cenário internacional, o que pode afastar ainda mais os investidores estrangeiros do país caso ela seja reeleita.

“Dilma envergonha o nosso país lá fora. O último discurso dela na ONU poderia entrar para os anais da história”, esbravejou.

PUBLICIDADE

De acordo com ele, a vantagem de 42 pontos porcentuais sustentada por Dilma em relação a Aécio no Nordeste se deve ao “engessamento por causa do Bolsa Família”.

Sobre o debate realizado pela TV Globo, que será nesta sexta-feira, Feldman sinalizou que o peessedebista se portará como um estadista. “Ele enumerará as questões que serão abordadas no seu governo e mostrará como pretende melhorar as condições do país”.

Indagado sobre a participação tímida de Marina, que foi candidata pelo PSB e ficou em terceiro lugar no primeiro turno, na campanha de Aécio mesmo após a ex-senadora ter oficializado o apoio ao candidato do PSDB no segundo turno, Feldman destacou que Marina acatou todos os pedidos de aparição de Aécio. “Se ele tivesse pedido, ela teria feito mais”, explicou.

Licenciado do cargo de porta-voz da Rede até o fim das eleições, Feldman negou os rumores de que a ex-ministra do Meio Ambiente poderá participar de um ato público ao lado de Aécio amanhã no Rio de Janeiro. “Marina já está se preparando para ir ao Acre para a votação. O que pode acontecer amanhã no Rio é uma aparição relâmpago de Romário ao lado de Aécio”, concluiu.