Frases da semana

Dilma “dobrando meta que não existe” e duelos de gigantes: as frases que agitaram a semana

Nesta semana, o noticiário político econômico agitou o cenário, com destaque para a "guerra fria" entre Levy e Cunha e o conflito mais declarado de Datena e Maluf; confira os destaques

arrow_forwardMais sobre
Brasília- DF 22-06-2015 Presidenta Dilma, Patrus Ananias, Aloisio Mercadante, Rasângela Piovizani. do movimento das mulheres camponesas, federaçõ dos trabalhadores na agricultura familiar, Marcos Rochiski e Contag, Alberto Broch. durante cerimônia de lançamento do plano safra da agricultura familiarFoto Lula Marques/AgênciaPT/Fotos Públicas
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O noticiário econômico foi bastante movimentado nesta semana, mas o grande destaque ficou, como não poderia deixar de ser, para o noticiário político.

Em destaque, a reunião da presidente com governadores e a disputa cada vez mais acirrada para a eleição de 2016 na cidade de S. Paulo, colocando em lados opostos o deputado Paulo Maluf e o apresentador José Luiz Datena.

Aprenda a investir na bolsa

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, também não ficou de fora e protagonizou embate (apesar de velado), com o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Confira as frases que agitaram a semana:

A meta e o otimismo de Dilma

“Não vamos colocar meta. Vamos deixar a meta aberta, mas, quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta”
Dilma Rousseff, presidente da República, ao se enrolar sobre as “metas que não existem” anunciadas na última terça-feira para o Pronatec Aprendiz, programa criado para disponibilizar cursos técnicos para jovens a partir dos 14 anos.

“Estamos atualizando as bases da economia e vamos voltar a crescer com todo potencial”
Dilma, mostrando confiança para retomar o crescimento econômico em reunião com governadores

Polêmica na Lava Jato… 

“Vou zelar pela segurança da minha família, dos meus filhos. Decidi encerrar minha carreira na advocacia. Fechei o escritório”
A advogada Beatriz Catta Preta, que defendeu nove delatores da Operação Lava-Jato, em entrevista ao “Jornal Nacional”, da TV Globo. Ela afirmou que pretende abandonar a profissão por se sentir ameaçada.

“A CPI vai continuar seu trabalho, vai continuar as investigações. Esta vitimização não vai nos intimidar. Quem tem que prestar esclarecimentos sobre as ameaças que recebeu agora é ela e a CPI pode ser grande palco para ela dizer quem a esta ameaçando”
Hugo Motta (PMDB-PB), voltando a afirmar que está mantido o depoimento da advogada Beatriz Catta Preta na CPI da Petrobras

“É uma denúncia grave. Evidentemente, caberá ao Ministério Público Federal, que conduz a questão das delações premiadas, determinar as medidas que sejam cabíveis para apura a situação”
José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, que avalia como grave a denúncia da advogada Beatriz Catta Preta. 

PUBLICIDADE

Embate Levy X Cunha 

“Protagonismo do Congresso até agora tem sido na direção de enfraquecer a meta”
Joaquim Levy, ministro da Fazenda, em entrevista para o jornal O Estado de S. Paulo. 

“Talvez ele não saiba lidar com a economia ou com o Congresso. Todas as medidas do ajuste fiscal foram aprovadas. Não foi o Congresso que deprimiu a economia”
Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, rebatendo a declaração do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que culpou o Congresso pela situação econômica do país.

Mais Levy e mais Cunha…

“Quando eu tinha 13 anos, minha irmã, um ano mais nova, era mais alta do que eu. Tinha um porteiro que todo dia passava e dizia ‘ah é, a menina cresceu, mas ele não vai crescer, que pena, não vai ficar que nem o pai’. Diante dessa extraordinária lição de vida, tenho certa reserva quanto a essa história de que o Brasil nunca mais vai crescer”
Levy, na mesma entrevista ao Estadão, quando perguntado sobre se  há ceticismo quanto à retomada de crescimento pós-ajuste.

“Se a frase do ex-presidente Lula é de que o PT está no volume morto, acho que para a sociedade ele já baixou do volume morto. O que precisamos fazer é ver para o futuro”
Cunha, em almoço com empresários realizado pelo LIDE na última segunda-feira.

Maluf X Datena

“A única coisa que falarei a respeito é que eu, Paulo Maluf, apoiarei a reeleição do prefeito Fernando Haddad no ano que vem”
Paulo Maluf (PP-SP), deputado, ao ser perguntado sobre a sua posição após o apresentador do Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, José Luiz Datena, apresentar a sua pré-candidatura pelo partido.  

“Eu aprendi através do meu pai a respeitar as pessoas de mais idade. O Maluf eu sei que está com a idade avançada e eu respeito demais o Maluf como homem, mas como político, evidente, que jamais apertaria a mão dele para qualquer acordo político. Nem para ser presidente de time de botão”.
José Luiz Datena, em resposta a Maluf

S&P? O que é isso?

“Essas agências não têm nada que se meterem no Brasil, deviam estar preocupadas com a vida delas, não com o Brasil. Essa crise, em certa medida é forjada. Enquanto a agência fica com essas firulas, a população está consumindo. Elas prestam um desserviço ao Brasil, não têm que ficar dando pitaco na vida interna do Brasil”
José Guimarães (PT-CE), líder do governo na Câmara, menosprezando o papel da Standard & Poor’s, que rebaixou a perspectiva do rating do Brasil para negativa esta semana, dizendo que esse tipo de avaliação não deve ser levado em conta. O deputado chamou ainda de “firulas” as decisões da agência sobre o Brasil.

“A presidente Dilma vive em outro planeta. A S&P vive na terra, e não em Marte, se baseia na realidade para emitir suas avaliações para os investidores. Enquanto isso a princesa alienada, na sua mais completa solidão, passa a criar teorias da conspiração como culpar a Lava-Jato pela queda do PIB”
Marcus Pestana (PSDB-MG), deputado da oposição, destacando que a decisão foi interpretada como um resultado que já era esperado. O deputado diz que a avaliação da S&P confirma que o degradado quadro econômico e político traçado pelo partido não é apenas “um desejo mórbido”, nem “diletantismo oposicionista”, mas uma dura realidade. 

Você pode até não gostar das camisas do ministro, mas…

O sr. Varoufakis pode ter cometido erros, todos cometemos. Podem acusá-lo de tudo o que quiserem por causa dos seus planos políticos, das suas declarações, do seu gosto por camisas, das suas férias em Aegina. Mas não podem acusá-lo de roubar o dinheiro do povo grego ou de ter um plano satânico secreto para empurrar a Grécia para o precipício”
Alexis Tsipras, primeiro-ministro da Grécia, em fala para o Parlamento da Grécia, confirmando que o ex-ministro das Finanças Yanis Varoufakis tinha planos de emergência para o caso de o país ter de sair da zona euro, mas afirma que isso não pode ser interpretado como uma vontade de deixar a moeda única. 

JBS e os rumores…

“Só sei quem é o Lulinha por foto na internet”
Wesley Batista, dono da JBS Friboi, em entrevista para a BBC sobre os rumores de que o filho de Lula, Fabio Luis da Silva, conhecido como Lulinha, seria o sócio oculto da sua empresa. 

“Investimos em alguns partidos ou políticos que depois olhamos e falamos: “Poxa, erramos. Era melhor o outro candidato”
O mesmo Wesley, falando sobre financiamento de campanha.  

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE