Dilma afirma que gostaria que a escolhessem para ser sucessora de Lula

Em inauguração em Minas Gerais, ministra falou ainda do PAC 2 e disse que gostaria de transformar o povo em quinta potência mundial

SÃO PAULO – Em inauguração de gasoduto da Petrobras em Jacutinga (MG), a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou que gostaria de ser a sucessora de Lula no cargo de presidente do País. “Eu acho que o presidente tem de ter um sucessor à altura do governo dele. Eu gostaria muito que me escolhessem como essa sucessora. Não sou hoje”, relembrando que o candidato do PT será escolhido em congresso do partido entre os dias 18 e 20 de fevereiro.

A ministra aproveitou a situação também para exaltar grande parte dos projetos que devem ser lembrados durante seus comícios no próximo semestre. Dilma Rousseff prometeu a liberação de recursos do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento), nova etapa do programa de fomento da economia, para drenagem na região, minimizando riscos de alagamento.

Quinta potência
A pré-candidata à Presidência também comentou a possibilidade de o país tornar-se a quinta economia mundial. “Um país não é a quinta potência se não tivermos desenvolvimento social. As pessoas têm de ter acesso às riquezas básicas. O que nos interessa é tornar o povo a quinta potência”, afirmou.

PUBLICIDADE

A ministra também comentou a ausência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no palanque, de repouso após uma crise de hipertensão. Segundo Dilma, a agenda de inaugurações não será interrompida por causa do problema de saúde de Lula, mas ela já o aconselhou a diminuir o ritmo, alternando semanas com muitos compromissos.