Impeachment no radar

Cunha deve analisar pedido de impeachment feito por Biculo e Reale em outubro, diz colunista

Cunha deve anunciar na terça-feira qual será o rito para os pedidos de impeachment contra a presidente

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deve anunciar nesta terça-feira (21) qual será o rito para os pedidos de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, de acordo com informações da coluna Radar Online, da Veja.

Segundo ele, a ideia é de que apenas deputados e não os autores dos processos de impeachment, possam recorrer de sua decisão caso haja arquivamento da maior parte dos processos. O deputado começará a análise pelos casos mais antigos e
juridicamente frágeis.

A ideia é analisar até três pedidos de impeachment por semana até chegar, no fim de outubro ou início de novembro, ao pedido assinado por Hélio Bicudo e jurista Miguel Reale, informa o colunista.

Aprenda a investir na bolsa

Além disso, o cronograma de avaliação dos pedidos ainda conta com a hipótese de que o TCU (Tribunal de Contas da União) e/ou o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) “compliquem a vida” da presidente. 

Vale ressaltar que, na última sexta-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu com Cunha em Brasília  e pediu para que o deputado segure os pedidos de afastamento contra a presidente.

Na avaliação dele, se um processo assim começar a tramitar na Câmara dos Deputados, será muito difícil que a pressão das ruas seja contida. Lula vê a situação de Dilma como gravíssima e precisa do apoio do PMDB para aprovar o pacote de ajuste fiscal. Vale ressaltar que Cunha se declarou que é oposição ao governo em julho. 

Na quinta-feira, Cunha recebeu o principal pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff do jurista Miguel Reale Jr. e de uma filha do jurista Hélio Bicudo, Maria Lúcia Bicudo, que representou o pai.