Lamento do senador

Cristovam lamenta debates políticos superficiais que apenas reforçam a dicotomia PT/PSDB

O senador afirmou que há no país outras forças políticas, com ideias novas e propostas de longo prazo

arrow_forwardMais sobre

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) lamentou que os debates políticos no país e, especialmente, no Senado, estejam superficiais e sirvam apenas para reforçar a dicotomia entre PT e PSDB, cujos integrantes se preocupam apenas em trocar acusações e comparar seus respectivos governos.

Ele lembrou que há no país outras forças políticas, com ideias novas e propostas de longo prazo.

Para o senador, o que falta é discutir questões como a sustentabilidade da previdência daqui a algumas décadas; o novo modelo industrial brasileiro; a dependência de nossa economia das exportações de produtos primários; o baixo investimento em pesquisa e inovação; e assuntos referentes à matriz energética.

PUBLICIDADE

No lugar disso, lamentou Cristovam Buarque, PT e PSDB preferem debater se o que é melhor para o país é a concessão ou a privatização, em vez de questionarem se a população está sendo a verdadeira beneficiária de serviços, independente de tal atividade ser oferecida pelo estado ou pela iniciativa privada.

– O debate entre o PT e o PSDB é como se fosse um debate só do presente. É um debate sem futuro, sem longo prazo, sem décadas à frente. Nós não discutimos aqui como esse país vai ter uma inserção competitiva no mundo – lamentou o senador.

Cristovam Buarque alertou para o fato de que a dependência de exportação de matéria-prima é perigosa. Ele citou o caso de Manaus e Belém, que, no início do século 20, experimentaram períodos de prosperidade e de estagnação por causa da borracha.

Em sua avaliação, o Mato Grosso, celeiro da soja brasileira, pode sofrer o mesmo impacto econômico se a África começar a exportar tal produto para a China.