CPI para investigar Petrobras deve ser criada no Senado, após leitura de requerimento

Vice-presidente autoriza medida, que na prática instala comissão investigativa; sonegação e royalties são temas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O vice-presidente do Senado federal, Marconi Perillo (PSDB-GO), quebrou acordo entre os líderes da Casa e autorizou a leitura do requerimento para a criação de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) sobre a Petrobras (PETR4). Na prática, investigação sobre a companhia estatal foi instalada.

A polêmica decisão teve autorização do presidente da casa, José Sarney (PMDB-AP), que teria telefonado a seu vice para determinar a leitura do requerimento, alegando razões regimentais para isto. Deste modo, o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) leu o documento na manhã desta sexta-feira (15).

Todavia, a decisão quebra pacto selado pelo colégio de líderes do Senado, que suspendeu a criação da comissão até que o presidente da petrolífera – José Sérgio Gabrielli – fosse a plenário prestar esclarecimentos aos parlamentares sobre investigações da Polícia Federal, denúncias sobre sonegação fiscal e erros no pagamento de royalties.

Pressão

Aprenda a investir na bolsa

Os senadores do PSDB pressionavam desde a última quinta-feira (14) para a leitura do requerimento, após ausentarem-se da reunião de líderes que decidiu pela suspensão do ato.

Com a autorização do vice-presidente, os 32 senadores que assinaram o pedido de criação da CPI têm até o final do dia para retirar seus nomes da lista. A criação do órgão investigativo será barrada apenas se o mínimo de 27 assinaturas não for mantido.