Consumidor brasileiro vai mais às compras do que a média dos latino-americanos

No Brasil, 67% da população comprou alguma coisa nos últimos 30 dias; País só fica atrás de Peru e México

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O consumidor brasileiro está indo às compras com mais freqüência do que a média dos latino-americanos. No Brasil, 67% da população comprou alguma coisa (excluindo bebidas e alimentos) nos últimos 30 dias, enquanto que na média dos outros países da América Latina, o índice atingido foi de 58%.

O País só fica atrás de Peru e México, cujos índices de compra recente foram de 69% e 68%, respectivamente. Os dados são da pesquisa “Consumidor do Século XXI”, divulgada, na última terça-feira (7), pelo Ibope Mídia.

A Argentina foi a nação que apresentou o menor percentual na região de moradores que foram às compras no último mês, apenas 40%.

Consumidor brasileiro

Aprenda a investir na bolsa

Além de constatar o destaque do consumidor brasileiro frente aos outros compradores da região, o estudo mostra que, nos últimos quatro anos, o hábito de ir às compras periodicamente no País cresceu aproximadamente 12%, passando de 60%, em 2002, para 67% este ano.

Os jovens entre 25 e 34 anos são os que consomem com maior freqüência (71%), sendo que as mulheres compram mais do que os homens, 71% contra 63%, respectivamente. Já em termos de renda, a situação é a seguinte: 77% das pessoas das classes AB realizaram compras recentemente, seguidas por 65% dos representantes da C e 55% da DE.

Influência

Um dos principais traços observados na análise do consumidor foi a influência que ele recebe para sua decisão de compra. Dentre os principais agentes influenciadores estão a mídia, o valor agregado ao produto, a opinião de amigos e familiares e o ponto-de-venda, este último, especialmente no que se refere a roupas (38%), alimentos (36%) e celulares (35%).

Além disso, o estudo verificou que é importante para o consumidor vincular sua identidade às compras realizadas, ou seja, ele busca informações e experiências sobre aquela determinada marca ou produto.

“Percebemos que o Consumidor do Século XXI é pouco influenciável, mais responsável e consciente dos seus gastos, além de muito mais exigente em relação à qualidade dos produtos e marcas que consome. Se não está satisfeito, vai atrás dos seus direitos”, avalia a diretora comercial do IBOPE Mídia, Dora Câmara.