Time de peso

Conheça os dois “cérebros” do programa econômico de Marina Silva

Marina segue com o time formado por Eduardo Campos para a campanha presidencial, contando como nomes Eduardo Giannetti e André Lara Resende

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As eleições de 2014, que tinham tudo para ser as mais disputadas em 20 anos, ganharam um contorno inesperado no último 13 de agosto deste ano, com a morte do candidato à presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, em uma tragédia aérea. Sete dias após a tragédia, o partido oficializou Marina Silva como sua candidata a presidente, apesar das divergências dentro do partido.

E o mercado, contudo, vê com bons olhos as convicções econômicas da candidata, apesar de alguns conflitos em ideológicos com alguns setores, como o agronegócio. Dentre os nomes de destaque da sua equipe econômica, estão alguns que se uniram a ela desde que ela tentou registrar o partido Rede Sustentabilidade, sem obter sucesso. Caso de Eduardo Giannetti da Fonseca e o fundador do Plano Real, André Lara Resende. Em artigo para a Folha de S. Paulo logo após a morte do ex-governador pernambucano, Giannetti afirmou que o gesto ousado de Marina de aliar-se a Campos deixou-o exitante, mas que a habilidade e magnetismo pessoal o levaram a uma forte impressão. 

Confira a página de Eleições do InfoMoney e fique por dentro das pesquisas eleitorais, agenda dos candidatos e as principais notícias sobre política

Aprenda a investir na bolsa

Confira os perfis das “cabeças” por trás dos planos econômicos de Marina Silva:

Time de Marina Silva

André Lara Resende

André Lara Resende

Um dos idealizadores do Plano Real, André Lara Resende chegou a se declarar um ex-economista ao tentar voltar à academia, conforme destacado em entrevista à revista Época. Ele voltou-se para uma área mais social da economia, com os seus interesses se ampliando para meio ambiente, filosofia e psicanálise, temas estes que o aproximou de Marina Silva. 

Formado pela PUC-Rio, o economista tem o título de PhD pelo MIT. Trabalhou no Banco Garantia, no Unibanco e foi sócio do Banco Matrix com Luiz Carlos Mendonça de Barros. Antes do Plano Real, ele foi um dos elaboradores do Plano Cruzado durante o governo do ex-presidente José Sarney (1986). 

Além de ser um dos integrantes da equipe do Plano Real, foi diretor do Banco Central do Brasil, negociou a dívida externa e um dos integrantes da equipe econômica que elaborou o Plano Real. Deixou o posto de sócio-diretor do Banco Matrix para assumir o cargo de assessor especial da Presidência a convite do Presidente da República Fernando Henrique Cardoso. Posteriormente, ele assumiu a presidência do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social), em abril de 1998. Também do Plano Real, mas mais como fonte de inspiração do que como membro atuante do programa econômico, está Pérsio Arida, do BTG Pactual. 

PUBLICIDADE

Eduardo Giannetti da Fonseca

Eduardo Giannetti da Fonseca


Mineiro de Belo Horizonte e que passou a morar em São Paulo com apenas alguns meses de idade, Eduardo Giannetti é o irmão caçula dos também economistas Marcos e Roberto Giannetti da Fonseca e é autor de diversos best-sellers. Eduardo ganhou dois prêmios Jabuti por seus livros: Vícios Privados, Benefícios Públicos (1994) e As partes & o todo (1995). Escreveu ainda Felicidade, O Valor da Manhã, O Livro das Citações e A Ilusão da Alma. 

Formado em economia (1978) e ciências sociais (1980) pela  USP, Giannetti é doutor pela Universidade de Cambridge, onde lecionou durante três anos. Ex-professor da USP, ele ensina história do pensamento econômico no Insper.

Giannetti atua principalmente nos temas de filosofia e teoria econômica, economia do bem estar, ética e economia. Ele foi um dos economistas que ajudou a montar o programa de Marina Silva à presidência, antes do partido da ex-senadora, a Rede Sustentabilidade, não conseguir se registrar em outubro de 2013.