Não pegou bem

Confusão do governo sobre novo ministro é culpa da boca grande do PMDB, afirma tucano

Episódio gerou mal estar na base aliada

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em entrevista ao portal Poder360 nesta sexta-feira (24), o presidente interino do PSDB, Alberto Goldman, culpou a “boca grande do PMDB” pela confusão da última quinta-feira (22) em meio à quase nomeação do deputado Carlos Marun (PMDB-MS) para a Secretaria do Governo no lugar do tucano Antonio Imbassahy, fato que gerou mal estar na base aliada.

“O PSDB não indicou ninguém que está lá. O ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes segue no governo porque o presidente e ele querem. O Imbassahy ficará se ele e Temer assim acharem. Dezenas de nomes ligados ao PSDB, como o presidente da Petrobras, Pedro Parente, também estão porque o governo os considera extremamente necessários”, afirmou Goldman.

No começo da tarde de quinta-feira, diversos veículos da imprensa passaram a informar que Marun seria nomeado para o comando da Secretaria de Governo, pasta responsável pela articulação política, substituindo assim o tucano Imbassahy. Porém, algumas horas depois, o próprio Palácio do Planalto informou que não há uma definição sobre a mudança na Secretaria de Governo e que Imbassahy permaneceria no cargo.

PUBLICIDADE

A Secretaria de Governo confirmou que há conversas sendo feitas em torno da possível substituição do tucano por Marun, mas que Temer ainda discute o assunto: “conversas acontecem, mas o ministro continua no cargo”.