Errou

Coaf erra diz que Cabral tinha 100 vezes mais em fundo de investimento

Mais cedo, a entidade havia dito que o ex-governador possuía R$ 38,5 milhões, mas o valor correto é de R$ 385 mil

SÃO PAULO – Mais cedo nesta sexta-feira (13), a Justiça Federal do Rio de Janeiro informou ter “descoberto” um valor de R$ 38,5 milhões do ex-governador do estado Sérgio Cabral em um fundo de investimento. A questão é que o montante foi informado errado pelo Coaf (Controle de Atividades Financeiras) e na verdade é de R$ 385 mil, segundo informações do jornalista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

O valor consta do relatório do Coaf enviado ao Ministério Público Federal e baseou o novo pedido de bloqueio de bens de Cabral feito nesta manhã. Os recursos estavam num fundo sob gestão da instituição financeira Bem DTVM, vinculada ao Bradesco. Cabral foi preso em novembro durante a Operação Calicute, junto com sua esposa, Adriana Ancelmo, que tinha R$ 10 milhões em conta. Os dois são acusados de obter propinas em obras públicas no Estado.

Mesmo o valor anteriormente divulgado, não seria suficiente para completar a quantia exigida pelo juiz Marcelo Bretas. O magistrado havia determinado a localização de até R$ 224 milhões em bens, valor estimado do desvio em obras públicas. Na última eleição em que concorreu, em 2010, quando foi reeleito governador do Rio, Cabral declarou possuir R$ 843 mil em bens.

PUBLICIDADE