Política

Celso de Mello vota pelos embargos; condenados no “mensalão” terão novo julgamento

Decisão era puramente técnica: ela constava no regimento interno, mas este conflitava com uma lei de 1990 a respeito do Supremo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ministro mais experiente do STF (Supremo Tribunal Federal), Celso de Mello votou pelos embargos infringentes, nesta quarta-feira (18). Assim, 12 dos 25 condenados no caso chamado de “mensalão” terão direito a um novo julgamento – sendo um deles José Dirceu, acusado de ser o mentor do esquema.

A decisão era puramente técnica: ela constava no regimento interno, mas este conflitava com uma lei de 1990 a respeito do Supremo. Mello, em seu demorado voto, disse que não poderia ceder às pressões populares. 

Assim, Mello salienta que quer um julgamento “justo” para todos os envolvidos neste e em outros crimes que poderão ser julgados em 1ª instância diretamente no Supremo – o julgamento do “mensalão”, supostamente, teve muita influência popular. Para Mello, uma proposta de Luís Roberto Barroso pode funcionar para aumentar a justiça: criar um tribunal especialmente para julgar autoridades em Brasília. 

Aprenda a investir na bolsa