Tragédia

“Campos deixa uma trajetória política vitoriosa”, diz presidente do Bradesco

O presidenciável era esperado em Santos, e seria recebido pelo amigo deputado federal Mario França, do PSB

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A trágica morte de Eduardo Campos em um acidente de avião surpreendeu à todos nesta quarta-feira. Em declaração, o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, disse que a morte de Campos é uma perda para todo Brasil. 

“Neste momento de triste surpresa e estupefação na sociedade brasileira, dirigimos nossa solidariedade à família do ex-governador Eduardo Henrique Accioly Campos”, disse Trabuco. Para o presidente do Bradesco, Campos era um brasileiro admirado em todo o País e deixa uma trajetória política vitoriosa e marcada pela competência administrativa.

“Sua perda, aos 49 anos de idade, é uma perda para todo o Brasil, que sabia poder contar com ele com representante legítimo de uma nova geração de dirigentes nacionais”, completou o presidente.

PUBLICIDADE

Acidente
A aeronave viajava do Rio para Guarujá e perdeu contato com controle aéreo. O acidente deixou sete mortos. A candidata à vice na chapa pelo PSB, Marina Silva, não estava na aeronave.

O PSB nacional confirmou que estavam em companhia do candidato à Presidência da República pela coligação Unidos para o Brasil, os assessores Pedro Valadares, assessor direto; Carlos Augusto Percol, assessor de imprensa; Marcelo Lira, cinegrafista; e Alexandre Severo, fotógrafo oficial, além dos pilotos da aeronave Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, Marcos Martins e Geraldo da Cunha. O avião caiu hoje em Santos matando todos os ocupantes.

O presidenciável era esperado em Santos, e seria recebido pelo amigo deputado federal Mario França, do PSB, que fez contato com Campos pela última vez por volta das 9h30 (horário de Brasília).