Polêmica

Bolsonaro: Petrobras não pode continuar usando paridade de preços internacionais

Em entrevista, Bolsonaro aproveitou ainda para criticar a Lei Rouanet de incentivo à cultura

Por  Estadão Conteúdo -

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), afirmou que a Petrobras (PETR3 ; PETR4) não pode continuar usando a paridade de preços internacionais, que atrela o reajuste dos preços dos combustíveis à variação do barril de petróleo no exterior.

“Vivemos um momento excepcional, ninguém quer interferir, nem vai interferir nos preços dos combustíveis. Mas a Petrobras não pode continuar usando a paridade de preços internacionais, sendo que nós somos autossuficientes, não somos em refino, sempre repassando isso para o povo”, disse o presidente em entrevista à Rádio Massa FM.

Leia mais: Por que Bolsonaro quer privatizar a Petrobras? Entenda o caso

Lei Rouanet

Bolsonaro aproveitou ainda a entrevista para criticar a Lei Rouanet de incentivo à cultura.

“Minha ideia é transformar a lei Rouanet em outra coisa”, declarou o chefe do Executivo. “R$ 500 mil reais é o teto, é muito dinheiro. Pode diminuir um pouco mais o valor.”

Auxílio Brasil

O presidente ainda defendeu nesta terça-feira o Auxílio Brasil, aposta do governo para vitrine social nas eleições deste ano.

“As pessoas se sentem felizes e reconhecidas com essa ajuda que é pequena, mas é a que o Brasil pode dar para ela”, declarou o chefe do Executivo. “Eu sei que R$ 400 não é muita coisa, mas para quem está na lona ajuda bastante”, acrescentou.

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe