Eleições 2014

Atraso para anunciar Marina foi para avaliar impacto na Bolsa, diz Feldmann

Deputado do PSB disse que partido queria ver o impacto da substituta de Eduardo Campos no mercado; Ibovespa subiu nos últimos 5 pregões e teve seu maior fechamento em 17 meses

SÃO PAULO – O mercado todo aguardava com expectativa pelo anúncio de Marina Silva como nova candidata à presidência pelo PSB às 15h (horário de Brasília) – o que não aconteceu. O motivo para o “atraso” seria porque o partido queria avaliar o impacto do anúncio da nova candidata no mercado financeiro, disse ao InfoMoney o deputado Walter Feldmann, que também é coordenador adjunto da campanha.

A reação do mercado tem sido “positiva” à repercussão de que Marina Silva seria a substituta natural de Eduardo Campos na corrida presidencial. Em alta nos últimos 5 pregões, o Ibovespa – principal índice de ações da Bovespa – subiu de 55.590 para 58.878 pontos nesse período, alcançando nesta quarta-feira (20) seu maior fechamento desde março de 2013. A interpretação dos analistas de mercado é de que, com a chegada de Marina, as chances de um 2º turno aumentam ainda mais, o que alimenta a expectativa de que uma mudança de governo – o mercado não tem gostado da maneira intervencionista que o governo de Dilma tem atuado em importantes setores da economia.

Segundo o site da BBC Brasil, a assessoria de imprensa do PSB confirmou que a oficialização de Marina Silva como candidata não acontecerá mais hoje, devendo ser feita amanhã de manhã.

PUBLICIDADE

Confira a página de Eleições do InfoMoney e fique por dentro das pesquisas eleitorais, agenda dos candidatos e as principais notícias sobre política