Análise

Ataque de Cid Gomes ao PT mostra racha na esquerda e disputa pela oposição em possível governo Bolsonaro

Avaliação de que Haddad deve ser derrotado por Bolsonaro antecipa disputa pelo comando da oposição à esquerda. Pedetistas iniciam construção do projeto Ciro 2022

SÃO PAULO – Na noite da última segunda-feira (16), o senador eleito pelo Ceará, Cid Gomes (PDT), irmão de Ciro Gomes, entrou em uma confusão com correligionários do PT ao dizer que o partido  precisa “pedir desculpas” e “ter humildade de reconhecer que fizeram muita besteira”. O vídeo viralizou nas redes sociais e também levou a uma análise sobre os movimentos do PDT – e de Ciro Gomes – para as próximas eleições. 

A avaliação é de que tanto Cid quanto Ciro Gomes fizeram contas e observaram que Fernando Haddad (PT) deve perder a eleição. Com esse cenário base, viraram a página e estão tratando de disputar a hegemonia da oposição ao governo Bolsonaro em 2019.

A briga na oposição será forte. De um lado, o PT e sua expressiva bancada, mas com lideranças envelhecidas e inviabilizadas politicamente por problemas judiciais.

PUBLICIDADE

De outro, Cid Gomes será um senador influente e tentará liderar a partir daí e da bancada pedetista na Câmara dos Deputados o combate ao governo Bolsonaro.

O pano de fundo seria a superação de Lula. Os Ferreira Gomes apostam no pós-Lula, enquanto o PT tem de se apegar ao seu líder. Enquanto o PT não aprender a caminhar sozinho como organização política, estará fadado a ser menor que Lula.

Lula e o PT hoje têm os votos que Ciro sonhou ter em 2018 e não conseguiu. Apesar de dizer o contrário – não poderia ser diferente –, pode estar sendo iniciada desde já a construção da candidatura Ciro 2022.

Proteja-se da instabilidade política: abra uma conta de investimentos na XP sem pagar taxas!