Críticas

Após recuo, grupos pró-impeachment dizem que “PSDB traiu o Brasil”

O PSDB decidiu que não entrará com processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff após receber um parecer negativo sobre a possibilidade e gerou críticas entre movimentos pró-impeachment

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O PSDB decidiu que não entrará com processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff após receber um parecer negativo sobre a possibilidade, mas irá levar à frente um pedido de investigação por conta das “pedaladas fiscais”.

Contudo, alguns movimentos pró-impeachment, que estão à frente dos protestos de rua contra a presidente reagiram ao recuo do PSDB, acusando o partido de “trair o Brasil”.

“O PSDB anunciou que não vai aderir à pauta do impeachment, traindo assim os mais de 50 milhões de votos adquiridos na última eleição dos brasileiros que apostaram nessa falsa oposição que continua nos decepcionando todos os dias”, criticou o MBL (Movimento Brasil Livre).

PUBLICIDADE

Já Marcello Reis, do Revoltados Online, afirmou que o partido torna-se “farinha do mesmo saco” do PT ao desistir do impeachment. “Aécio Neves [presidente nacional do PSDB] está sendo um covarde, cúmplice desse governo federal corrupto e a mando do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso”, disse. Na página oficial do Facebook, o Revoltados Online publicou vários vídeos críticos à oposição. 

Mesmo afastando a hipótese de pedir impeachment agora, alguns integrantes do PSDB defendem a discussão. “O PSDB tem o dever de analisar o impeachment”, afirmou o senador Álvaro Dias (PSDB-PR).